22.7.16

dvd - JORNADA NAS ESTRELAS a série animada


Eles lançaram alguns poucos episódios desse desenho num box da série clássica, além de uma Enterprise de papel pra você montar. Eu comprei a edição remasterizada, com efeitos especiais atuais, mas não encontrei o segundo box, aí comprei a edição anterior. Bem, minha coleção tá completa mas tá uma bagunça... Esse box da série animada traz as duas temporadas, totalizando 22 episódios, em quatro discos. É uma coleção completa desta vez, numa luva, tudo bonitinho, estou satisfeito.
A série animada estreou em 1973, dando continuidade ao seriado clássico. Todos os atores da série original emprestaram suas vozes. Não tem como evitar o clima de nostalgia quando você assiste a série animada em inglês, é Jornada nas estrelas, é diferente, mas ainda é Jornada nas estrelas, o DNA do seriado está presente (e não existe opção de áudio em Pt-Br).
A animação ficou por conta da Filmation (que produziu o He-man nos anos 1980), não é uma animação muito animada. O desenho acaba valendo a pena pelos roteiros. Sendo uma animação, é mais fácil criar seres estranhos, interagindo com humanos, e mundos alienígenas mais complexos. Coisas que seriam complicadas de se fazer no seriado de 1966, com os efeitos especiais daquela época.
Embora seja uma animação, não é voltada para crianças. É o seriado de 1966, com viagens no tempo, paradoxos temporais e muita sci-fi cerebral, mas está com outra aparência. 
É uma produção de 1973, dá pra gente perdoar os tais ''cintos de suporte de vida'' que permitem passeios pelo vácuo espacial, são mais confortáveis que trajes espaciais completos no fim das contas.













FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: star trek the animated series
ANO: 1973-74
TEMPORADAS: 1 e 2
EPISÓDIOS: 22
DURAÇÃO: 20 min

blu-ray - BATMAN VS SUPERMAN edição definitiva


Onde foi parar a Mulher Maravilha? Eu vi uma foto do blu e do dvd, e também um poster numa loja, e ela tava bem no meio dos dois heróis. Que saco, já não gostei dessa capinha. O blu é duplo, no disco 1 encontramos um trailer do Esquadrão suicida, a versão de cinema e os extras. ''Unindo os melhores do mundo'' tem apenas 15 minutos de duração, mas mostra os bastidores do filme da Mulher Maravilha e do Esquadrão suicida, muitas cenas novas. Há um extra sobre o duelo entre o homem de aço e o homem morcego, outro sobre o batmóvel e outro sobre a Mulher Maravilha (das HQs) desde sua criação até os dias de hoje.


O disco 2 traz um trailer da animação ''a piada mortal'' (tá igualzinho a HQ) e a versão estendida com 30 minutos a mais. Continua sendo um filme pesado, mas ver em casa é muito mais agradável. Vemos alguns detalhes do plano de Lex Luthor (ainda não gosto desse personagem), inclusive uma queima de arquivo, e Lois Lane também faz algumas descobertas, o filme deixa de parecer tão apressado. Tem a cena com o tio do Darkseid (acredito eu) e o bumbum do Big Ben no chuveiro. Cavill e Affleck, pouca roupa, em agá dê, faz o blu valer cada centavo.

em cartaz - A LENDA DE TARZAN


Mega produções arriscadas, elas ainda existem. É fácil ver onde foi parar a grana do filme, ele é um espetáculo visual e tá cheio de animais digitais (acho que não vi nenhum animal de verdade no filme, tem até borboleta digital), e o herói ainda aparece, digitalmente, balançando nos cipós como num filme do Homem Aranha. E eu só conseguia pensar no David Yates. Seus filmes estão em algum lugar entre o bom e o ruim e raramente se trata de um lugar agradável, eu ainda tenho uma certa bronca dos últimos ''Harry Potter''. É verdade que esse Tarzan tem mais acertos que erros, mas eu ainda prefiro o filme do Christopher Lambert. O Tarzan de 2016, com sua força sobre humana (!?!) (até a Jane fala dele como se fosse um Superman), parece estar tentando competir com os atuais filmes de super heróis. Eu acho que algumas crianças vão curtir o filme.


- Estou sentindo uma cutucada.


A LENDA DE TARZAN tenta não ser um filme de origem. A trama começa na Europa. Tarzan, digo, John, está casado com Jane e já se adaptou a vida na cidade grande. Ele é uma celebridade. Aos poucos pintam os flashbacks, o naufrágio, a mãe gorila, o primeiro encontro com Jane, pouca novidade. Não demora muito, ele embarca de volta para o Congo para ajudar algumas tribos que estão sendo escravizadas por europeus malvados. Infelizmente, o personagem principal é justamente o único personagem do filme que não ganhou profundidade, nem diálogos memoráveis. Quem rouba a cena é a Jane (Margot Robbie) e o vilão Rom (Christoph Waltz, afiado como sempre), eles ganharam os melhores momentos do filme. E o Samuel L. Jackson surge como alívio cômico.
Jane precisa ser resgatada e Tarzan convoca leões, gorilas, crocodilos e solta uma manada de búfalos digitais em cima dos vilões (o clímax é exagerado mas foi muito legal). Algumas sequências de ação lembram ''piratas do Caribe'', como a batalha dentro do trem, são sequências que a gente não acha mais tããão legais assim.












FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: the legend of Tarzan
ANO: 2016
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 1h 50min
DIRETOR: David Yates
ELENCO: Alexander Skarsgard, Margot Robbie, Christoph Waltz, Djimon Hounsou e Samuel L Jackson.
ESTREIA BR: 21 de julho


NA POLTRONA
10 min - recrutado pelo Nick Fury
30 min - hakuna matata
1 hora - Lois Lane nas garras do vilão

21.7.16

PRIMEIRA IMPRESSÃO

KONG: SKULL ISLAND (2017)