26.4.15

POR ONDE ANDA ESSE FILME?


GERONTOPHILIA (atração sexual por pessoas idosas) não é um filme para todos os gostos, você precisa ter a mente aberta e ainda assim pode não curtir algumas cenas. O filme passou por aqui em 2013, no festival do RJ, mas nenhum dvd foi lançado. Se você tem esse fetiche, o filme é pra você, caso contrário tente apreciar a história de amor.
Lake é um rapaz que trabalha numa clínica que cuida de idosos. Ele tem uma namorada mas sente atração por homens mais velhos (bem mais velhos). A sequência na piscina, quando ele faz respiração boca a boca num idoso, é muito engraçada. Lake conhece um senhor, que está muito doente, chamado Melvyn. Os dois se tornam grandes amigos. Melvyn é homossexual, o que facilita as coisas para o rapaz. Mas Lake acha que Melvyn está sendo maltratado na clínica. Ele livra o velho dos remédios e o tira do local no meio da noite.
Usando o carro da mãe, Lake leva Melvyn numa viagem, cruzando o Canadá, até a costa oeste. Pelo caminho, Lake descobre que não se trata apenas de atração sexual, ele está se apaixonando por Melvyn.
O final da história é previsível, mas é tocante.


FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: idem
ANO: 2013
PAÍS: canadá
DURAÇÃO: 82 min
DIRETOR: Bruce La Bruce
ELENCO: Pier-Gabrile Lajoie, Walter Borden e Katie Boland.

CHP CLASSIC


Recuperar um filme independente, e gay, dos anos 1960 não é fácil. Faltam alguns frames no dvd de FLESH, mas dá pra assistir. FLESH faz parte de uma série de quase dez filmes, consecutivos, que foram estrelados pelo muso gay da época Joe Dallesandro, produzidos por Andy Warhol e dirigidos por Paul Morrissey. Os caras adoravam o Joe, com vinte anos na época, ele era assumidamente bissexual (mas se casou 3 vezes, com mulheres) e tirava a roupa nos filmes sem hesitar. FLESH é uma espécie de celebração à nudez de Joe Dallesandro, ele começa o filme nu e termina o filme nu, não esconde nem a ereção.
O filme quase não tem história, ele foi escrito e filmado de um jeito pra ficar parecido com um vídeo caseiro barra documentário. Joe é um garoto de programa, ele precisa juntar 200 dólares para pagar o aborto da namorada de sua esposa. Ninguém no filme é apenas hétero ou apenas gay. Quando não está trabalhando nas ruas, Joe está conversando com amigos. A turma fica jogando conversa fora e alguns contam histórias pessoais. É como um vídeo caseiro, não tem jeito de filme. Apesar de tanta nudez, não há cenas de sexo.
FLESH faz parte de uma ''trilogia'', existe o filme TRASH (1970) e o filme HEAT (1972), mas cada um conta uma história diferente. HEAT por exemplo é uma paródia de ''crepúsculo dos deuses''.











FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: idem
ANO: 1968
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 89 min
DIRETOR: Paul Morrissey
ELENCO: Joe Dallesandro, Geraldine Smith e Patti D'Arbanville.

25.4.15

em cartaz - PÁSSARO BRANCO NA NEVASCA


Depois de vários filmes temáticos levemente insanos, vemos o diretor Gregg Araki fazendo algo mais maduro. Ok, o filme é baseado num livro e o cara só entrou com o roteiro, por essa razão PÁSSARO BRANCO NA NEVASCA é bem diferente dos outros filmes do diretor. E é um filme de 2014 que está estreando por aqui com um certo atraso. Na verdade, uma cena do filme já pintou aqui no blog. O filme é todo da Shailene Woodley, que faz o papel principal e narra a história. A mãe dela, uma Eva Green que consegue convencer como quarentona, desapareceu sem deixar rastros. E a moça ficou sozinha com o paizão Christopher Meloni. Em matéria de homens, esse filme tá bem servido.


- E então, pai? Quer conhecer meu namorado?


Após o sumiço da mãe, Kat não sabe exatamente o que deveria estar sentindo. Nos últimos anos, sua mãe estava agindo como uma louca (Eva Green tira isso de letra). Agora seu pai se sente solitário e abatido, enquanto ela começa a ter sonhos estranhos com a mãe. Quando seu namorado Shiloh Fernandez começa a negar sexo, ela dá em cima do detetive que está procurando sua mãe, o Thomas Jane. Enquanto isso, vemos vários flashbacks que mostram a evolução da ''loucura'' da mãe de Kat. Afinal, por que ela foi embora? Isso só é revelado no finalzinho, é uma cena sexy, mas parece pertencer a outro filme. Vale uma espiada pelo pouco de nudez masculina que aparece na tela.













FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: white bird in a blizzard
ANO: 2014
PAÍSES: eua, frança
DURAÇÃO: 91 min
DIRETOR: Gregg Araki (the living end, geração maldita, splendor, mistérios da carne, kaboom)
ELENCO: Shailene Woodley, Eva Green, Christopher Meloni, Shiloh Fernandez, Thomas Jane, Mark Indelicato e Gabourey Sidibe
ESTREIA BR: 23 de abril de 2015

24.4.15

em cartaz - VINGADORES, A ERA DE ULTRON


Essa sessão foi um inferno, gente conversando, gente com o celular ligado, criança pequena tagarelando (que tipo de idiota leva criança pequena para ver filmes legendados?), e os óculos 3D, como é de costume, incomodam e deixam o filme sem brilho. E o filme? Bem, não foi ''aquele filme'' de super heróis, foi apenas ''mais um filme de super heróis'', será que já estamos cansados disso? Ele tem o ritmo de uma HQ e não o ritmo de um filme, algumas sequências são realmente desnecessárias e outras são longas demais. Não tem aquele ar de ''grande evento do ano'', como o filme anterior. E o vilão também tem culpa. Não sei por que resolveram botar um senso de humor no Ultron, suas piadinhas não combinam com a imagem do vilão. Aliás, o filme todo puxa demais para o lado da comédia, mas não é ''guardiões da galáxia'', tá mais para ''Homem de Ferro 2''.


- Por Odin, onde está Wally?


O filme começa com uma pequena aventura da equipe, invadindo o castelo do barão Strucker. O cara está com o cajado de Loki e os gêmeos Pietro e Wanda (nenhuma ligação com o Magneto) também estão lá, como dois humanos geneticamente modificados (eles não podem usar a palavra ''mutante''). Os Vingadores recuperam o cajado e Tony Stark usa a gema do infinito, que está na ponta, para incrementar seu programa de inteligência artificial. E assim, Ultron desperta, ele se livra de Jarvis, pega uma das armaduras do Homem de Ferro e ameaça os Vingadores. Depois disso, o filme dá um salto bem incômodo. Do nada, vemos Ultron com um novo corpo e recrutando os gêmeos (os poderes da Feiticeira Escarlate não estão no gibi e são meio que mal explicados). O filme reúne vários personagens coadjuvantes de outros filmes, do Máquina de Combate ao Falcão, de Peggy Carter ao professor Selvig e também o Heimdall. Em um determinado momento, Ultron cria o sintozóide Visão e o Gavião Arqueiro ganha bastante espaço neste filme. Assim como nas HQs, a equipe está sempre se renovando e no final você vai conhecer a nova formação. Há uma cena adicional no meio dos créditos, aparece rapidinho. No fim das contas, graças ao vilão comediante, esse filme foi bem tranquilo, como se fosse o prelúdio para algum grande evento (Guerra Infinita vem aí). Acho que o grande evento de 2015 vai ser mesmo o novo Star Wars em dezembro.












FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: avengers, age of Ultron
ANO: 2015
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 141 min
DIRETOR: Joss Whedon
ELENCO: um monte de gente
ESTREIA BR: 23 de abril

23.4.15

dvd - CLÁSSICOS SCI-FI


Agora eu gostei de ver, a Versátil lançou mais um box com filmes clássicos e colocou no pacote três filmes que eu venho procurando há um bom tempo. Depois de um pack de terror e dois packs de filmes noir, eles lançaram desta vez um pack com seis clássicos de ficção científica. São três discos e seis cards com os posters de cada filme. Entre eles, um filmão, relativamente novo, de 1988.


Os cards



ELES VIVEM (1988)
Esse é um dos filmes mais divertidos de John Carpenter. Nem mesmo o protagonista canastrão consegue estragar tudo, é sério, quando o cara descobre a terrível verdade ele não tem uma reação muito realista. Se quer saber, ele começa a bancar o Rambo e usa frases de efeitos, mas, hey, são os anos 1980. Na trama, um operário de uma construção descobre que coisas estranhas estão acontecendo numa igreja local. Do nada, um pelotão da polícia aparece e destrói tudo. Nos escombros ele encontra uma caixa com óculos escuros. Com esses óculos, ele consegue enxergar os alienígenas que estão se passando por humanos e também mensagens subliminares que eles espalham por aí. Um filmaço, marcou época, gerou uma legião de fãs e deixou muita gente paranóica (alguns malucos acham que o filme é um documentário).



A AMEAÇA QUE VEIO DO ESPAÇO, ou apenas VEIO DO ESPAÇO (1953)
O filme pode parecer meio fraquinho, mas assustou o público naquela época, foi exibido em 3D e Barbara Rush até ganhou um Globo de Ouro. Quando o filme começa, vemos um astrônomo olhando o céu noturno com a namorada, e aí um gigantesco meteoro aparece e cai perto de uma mina. Os dois vão até o local e o cara entra na cratera. Ele vê uma nave espacial, mas ela é soterrada logo em seguida. Ninguém na cidade acredita nele, porém, não demora muito, ele descobre um alienígena andando por aí. As criaturas estão sequestrando pessoas, estão assumindo a forma delas e estão roubando material elétrico por alguma razão. Assim como ''O dia em que a Terra parou'', o filme passa uma bela mensagem.




O PLANETA DOS VAMPIROS (1965)
O título brasileiro, e o título norte americano, é enganador. Não há nenhum vampiro nesse filme (e o poster norte americano mostra até criaturas insectóides). ''Terrore nello spazio'' é um filme do diretor italiano Mario Bava (veja também ''Mata, baby, mata'', de 1966), o filme mostra duas espaçonaves da Terra que estão investigando uma estranha transmissão que está vindo de um estranho planeta. Após dois anos de viagem, as duas naves chegam no tal planeta e são forçadas a aterrissar nele, por conta de alguns problemas técnicos bem bizarros. Assim que pisam no planeta, os astronautas começam a atacar uns aos outros sem nenhuma razão. O pessoal da nave Argos consegue se conter e param com a loucura. Mas a tripulação da Galliot não teve sorte, eles se mataram uns aos outros. E aí o filme vira um filme de terror. Os aliens, parasitas sem uma forma física, usam os humanos mortos como hospedeiros, e todos eles se levantam da cova. Eles querem uma nave para deixar o planeta, que está condenado. O filme serviu de inspiração para ''Alien, o oitavo passageiro''.




PLANETA PROIBIDO (1956)
Esse filme foi o ''star wars'' dos anos 1950, um grande sucesso da MGM. O robô Robby ganha bonequinhos até hoje, e ganhou seu próprio filme em 1957 (!!!). ''Planeta proibido'' trouxe efeitos especiais incríveis (indicados ao Oscar) que só seriam superados por ''2001, uma odisseia no espaço'' em 1968. Um jovem Leslie Nielsen (opa, bonitão) é o capitão de uma nave que está indo investigar o tal planeta do título. O filme quer ser realista, ele diz que o homem pisou na Lua nas últimas décadas do século XXI e só migrou para outros planetas alguns séculos depois. Nielsen, dando uma de Capitão Kirk (o filme lembra bastante um episódio de star trek) quer saber o que aconteceu com os humanos que pousaram neste planeta há vinte anos. Ele encontra apenas um sobrevivente, com uma história meio suspeita. Ele tem uma filha e um criado robô. E aí pinta uma criatura invisível que está sabotando a nave e matando os tripulantes. A explicação para o mistério é muito boa, mas o desfecho é tranquilo demais.



MALDITOS (1963)
Esse é o filme mais fraco do pacote. Ele não tem muita história para contar e a trama não é nada original. O filme mostra um norte americano curtindo a Inglaterra. Ele conhece uma moça que faz parte de uma gangue de rua, o irmão dela é o líder da gangue. Ela começa a se sentir mal por ter ajudado o irmão a assaltar o turista e vai atrás dele. E boa parte do filme é apenas isso. O americano e a moça estão fugindo da gangue, o irmão dela (um jovem Oliver Reed) não quer que ela seja tocada por nenhum homem. O filme passa da metade e eles ainda estão em fuga. Um pouco antes de completar uma hora de duração, a trama sci-fi finalmente começa. O casal encontra nove crianças que estão presas numa base militar por alguma razão, e aí eles resolvem libertar todas elas. O filme não tem nada de ''maldito'', não é terror, e como sci-fi é bem fraquinho.



FUGA DO SÉCULO 23 (1976)
O melhor filme do pacote tá no terceiro disco. Esse filme é um marco da ficção científica e vem gerando clones até os dias de hoje (ano passado você viu o ''Doador de memórias''?). O filme tem efeitos especiais competentes (ganhou um Oscar especial) e mistura cenas reais com cenários pintados (e tem também cenários reais imensos) e algumas maquetes incríveis. Tudo isso para criar uma cidade do futuro dentro de várias cúpulas de vidro. O povo lá dentro não sabe o que existe do lado de fora.
E para manter a paz e o equilíbrio, todos aqueles que completam trinta anos são ''renovados'' (eles não usam a palavra ''morte'') e novos bebês, gerados em laboratórios, são criados logo em seguida. Logan 5 é um sandman, um policial que captura os fugitivos (ele não entende por que algumas pessoas não querem ser renovadas).
O computador da cidade lhe dá uma missão inédita, fingir ser um fugitivo e encontrar um lugar que eles chamam de Santuário, que supostamente ficaria do lado de fora da cúpula. Logan 5 conquista a confiança de uma mulher chamada Jessica 6, que também quer fugir, e consegue escapar pelo subterrâneo. Aos poucos, a lealdade de Logan 5 vai mudando de lado, enquanto ele descobre todas as verdades sobre o funcionamento (aparentemente perfeito) de sua cidade.
É interessante notar que a maioria dos clones deste filme costuma trazer uma visão bem sombria, um pouco mais realista talvez. Afinal, pode um único homem derrotar o Sistema? Seja como for, FUGA DO SÉCULO 23 tem um final espetacular.
Farrah Fawcett aparece numa ponta.

Extras: um making of de ''Planeta proibido'' e um making of de ''Eles vivem''.

É RAPIDINHO


Pela internet, Jeremy Renner se desculpou por ter chamado a Viúva Negra de vagabunda numa entrevista e o Chris Evans se desculpou por ter dado risada, os fãs da personagem não curtiram.

''Galaxy quest'' (ou ''Heróis fora de órbita''), uma comédia que eu adoro, vai virar seriado de tv.

E o seriado do Demolidor já tem uma segunda temporada garantida.

Ian McKellen, Ewan McGregor e Stanley Tucci vão estar na versão em live action de ''A Bela e a Fera''.

O seriado ''Três é demais'' vai voltar (hum, John Stamos...), mas ninguém avisou as gêmeas Olsen.

Os diretores de ''Uma aventura Lego'' vão dirigir um longa animado do Homem Aranha, chega em 2018.

Sarah Jessica Parker vai voltar pra HBO, mas isso não tem nada a ver com ''sex and the city''.

ESTREIAS DA SEMANA

OS VINGADORES, A ERA DE ULTRON
Quando Tony Stark tenta reiniciar um programa de manutenção de paz, as coisas não dão certo e os super-heróis mais poderosos da Terra terão que passar no teste definitivo para salvar o planeta.


PÁSSARO BRANCO NA NEVASCA
Em 1988, o súbido desaparecimento da mãe e a descoberta da sexualidade faz com que os 17 anos de uma adolescente mudem drasticamente sua vida.  


PRÓXIMAS ESTREIAS:

Cake, uma razão para viver
Cala boca Philip
Entre abelhas
Noite sem fim
Para o que der e vier
Super velozes, mega furiosos
Uma longa jornada

22.4.15

DIGA ''SIM'' ÀS DROGAS


Ok, vou falar mal de um filme que foi muito premiado, ao redor do mundo, nos anos 1990. O problema de FELIZES JUNTOS é que às vezes não dá pra entender a trama, são poucos os diálogos e a linguagem corporal dos atores também não ajuda muito. Então tá, é um filme de arte, acho que o tema é a solidão, mas é uma pena que certas sequências não fazem muito sentido.
Dois homochineses estão em Buenos Aires num AP miserável. Eles brigam e se separam, voltam a ficar juntos novamente e depois vem outra briga. É complicado entender as razões, eles quase não conversam. O filme, supostamente, deveria ser tocante ou romântico, mas você não vê esse clima no ar. Falta um pouco de emoção, eu gostaria de entender a razão pela qual eles vivem num relacionamento tão disfuncional.
As coisas ficam um pouco mais claras na segunda metade do filme e o final tenta ser poético. Vale uma espiada, é intenso, meio sombrio, não veja com o namorado ao lado (acaba com qualquer clima).













FICHA TÉCNICA

TITULO ORIGINAL: chun gwong cha sit
ANO: 1997
PAÍS: China
DURAÇÃO: 96 min
DIRETOR: Kar Wai Wong
ELENCO: Leslie Cheung, Tony Leung Chiu Wai e Cheng Chang.
 

DÊ UMA CHANCE PARA ...


Como eu disse antes, só tem criança nesse blog. Ok fedelhos, CROCODILO DUNDEE já está disponível em dvd e está na hora de vocês conhecerem o cara. É o cúmulo do absurdo? Meu amigo Rafael (que já se esqueceu dos amigos porque arrumou namorado) tem quase trinta anos e nunca viu um filme do Indiana Jones na vida, apresentei os quatro filmes prele em 2014. Essa gente é esquisita demais pra mim, não sei por que entram no meu blog afinal (só pelos homens?).
CROCODILO DUNDEE é uma comédia de 1986 que se transforma em comédia romântica depois de algum tempo. Na trama, uma repórter de niuiorqui vai até a Austrália para entrevistar um cara que foi mordido por um crocodilo, e que depois, com uma perna a menos, conseguiu se arrastar de volta para casa.
Paul Hogan é o tal cara, o ator ganhou uma indicação ao Oscar pelo roteiro deste filme (e um Globo de Ouro de melhor ator). Aos poucos a moça vai descobrindo que Michael J. Crocodilo Dundee é quase uma farsa. Ele não perdeu a perna, os moradores da pequena cidade estão sempre mudando a versão original da história. Mas o cara sabe mesmo como sobreviver em território selvagem. A moça fica impressionada e decide levar Dundee até niuioqui.
Ele nunca entrou num avião, nunca viu uma escada rolante, e não sabe reconhecer uma prostituta, o filme tem alguns momentos engraçados. E a sequência final no metrô se tornou antológica.
Eu vi o filme quando era criança e não entendi algumas coisas, culpa da dublagem da Rede Globo. Mas as legendas do dvd também não respeitam algumas traduções. Tudo bem, eu cresci e aprendi inglês.
O filme ganhou duas continuações dispensáveis em 1988 e em 2001.


FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: Crocodile Dundee
ANO: 1986
PAÍS: austrália
DURAÇÃO: 97 min
DIRETOR: Peter Faiman
ELENCO: Paul Hogan, Linda Kozlowski e John Meillon
PRÊMIOS: indicado ao Oscar de melhor roteiro original.

ANATOMIA DE UM POSTER

SOUTHPAW

É muito pra você?

Procure por ''Amor por acidente'' (2015)