21/09/2014

MARATONA STAR WARS - 2014 (parte 1)


Por conta da minha paciência de Jedi, economizei uns 120 mangos. O box está mais barato agora. Mas o verdadeiro culpado é o George Lucas mesmo. Não fiquei muito animado com as novas mudanças e decidi não comprar a caixa logo de cara. É a terceira vez que ele mexe na trilogia clássica, e a primeira vez na nova trilogia. Meu box não é o famoso box com aquele erro na palavra ''completa'', mas traz aquele poster que não agradou ninguém. Luke de costas, Anakin de frente, quem é que curte esse garoto afinal?
O livro guia traz muitas ilustrações e os menus foram parar, espremidos, nas últimas páginas. A embalagem com nove discos (todos são blu-ray) vem no formato pergaminho. Atrás tem um mini poster com todo o elenco da saga reunido. E lá está o Hayden Christensen, e o Jake Lloyd, bem grandões, no centro. Enquanto Luke, Han e Léia ocupam um pequeno espaço num canto. Essa caixa é uma decepção atrás da outra.
Mas, e quanto aos discos?



DISCO 1 - A AMEAÇA FANTASMA
Concordo que o HD ficou bonitão. Até o Ewan McGregor está mais fofinho. Só que ele entrega alguns problemas que não eram visíveis em 1999. Quando temos um cenário todo digital, e uma nave avança por ele, dá pra notar que a nave está com uma iluminação diferente, ela não se casa perfeitamente com o cenário. É uma pena que essa não seja a lendária ''edição fantasma'', feita por um fã, onde temos menos Jar Jar e menos Anakin com seus ''oops''. A atuação do garoto não tem perdão, ele é péssimo. 
Outra escorregada, as malditas midichlorians. Para explicar que Anakin é mais poderoso que Yoda, tudo bem. Mas quando Qui-Gon explica o que elas são, estraga a magia da saga. Não gosto dessa cena.
E ainda tem a cena do dado, outra coisa que deveria ser retirada do filme. Na saga de star wars não existe sorte, apenas a vontade da Força. Se a vontade da Força é tirar Anakin de Tatooine, Qui-Gon deveria deixar o dado em paz, mas o cara trapaceou, ele não confia na Força. É um dos piores Jedi que já vi, passa o filme todo contando mentiras.
No final, surge o Yoda digital (a maior mudança feita nesta edição), bem parecido com o Yoda do episódio 5. A corrida de pods está na versão estendida e é um ótimo teste pro seu home. No final dos créditos, se ouve a respiração de Darth Vader.
 


DISCO 2 - ATAQUE DOS CLONES
Hayden não é tão ruim quanto Jake, mas também não é grande coisa. Eu estava torcendo pela contratação do Ryan Phillippe na época. Em algum lugar, no tráfego de Coruscant, você pode ver uma X-wing perseguindo uma Tie, até hoje não consegui encontrar essas duas naves. Em Naboo, Anakin e Padmé ganharam os piores diálogos, são duas pessoas adultas conversando? 
Ainda em Naboo, pela primeira vez na saga, um homem sem camisa. Achei legal a piada do Jango Fett batendo a cabeça ao entrar na slave-1, meio sutil mas está lá. Esse filme, ao contrário do anterior, faz muitas referências aos episódios da primeira trilogia, tem até o leite azul da tia Beru. Anthony Daniels, sem a roupa do C3PO, pode ser visto no bar em Coruscant.

Enquanto Obi Wan faz um trabalho de detetive, Anakin acaba com a aldeia dos Tusken. Hayden Christensen atinge seu limite, nem sequer consegue chorar de uma maneira convincente. Mas tudo bem, logo surge Padmé pra consolar o rapaz, ele conta que matou mulheres e crianças, e ela, sem reação alguma, solta outro ''belo'' diálogo.
O casal chega em Geonosis e eu vejo que o ''erro da porta'' ainda está no filme, vi isso na época, e no dvd, e Lucas até agora não viu nada. Anakin usa a força para abrir uma porta (digital) e sua cabeça passa por trás dela, apenas Natalie Portman se abaixa ao passar.
Na arena, o HD entrega outro defeito especial, a criatura verde, que enfrenta Obi Wan, está com a iluminação errada, não combina com o cenário.
A batalha de Geonosis continua incrível. Yoda pega seu sabre e mostra que ele é o cara. A marcha imperial toca, e fim.

DISCO BÔNUS 1
O primeiro disco de bônus reúne extras dos 3 primeiros episódios. Mas não traz os longos documentários que estão presentes nos dvds. Ele traz novidades, mas são pedaços de um making of aqui e ali. A duração varia de um minuto a quatro e meio, é muito pouco. E, cada vez que você entra numa nova opção do menu, precisa reativar as legendas. O melhor jeito é pegar a página inicial e clicar em ''play all''. 
Ok, é tudo novidade, mas é pouca coisa. Ainda assim, o disco demora um bocado pra carregar, muitas opções ativam uma sequência de cenas do filme, logo, mais carregamento a vista. 

FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: star wars, episode I, the phantom menace
ANO: 1999
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 136 min
DIRETOR: George Lucas
ELENCO: Ewan McGregor, Liam Neeson, Natalie Portman, Jake Lloyd e Ian McDiarmid.
PRÊMIOS: indicado para 3 Oscars (efeitos, edição de som, som)

TÍTULO ORIGINAL: star wars, episode II, attack of the clones
ANO: 2002
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 142 min
DIRETOR: George Lucas
ELENCO: Hayden Christensen, Natalie Portman, Ewan McGregor, Christopher Lee e Samuel L Jackson.
PRÊMIOS: indicado para o Oscar de melhores efeitos especiais

20/09/2014

DIGA ''SIM'' ÀS DROGAS


E aí Kim Basinger aparece e diz que não vai estrelar esse filme de jeito nenhum. Se me lembro bem, ela teve que pagar uma multa, porque já havia assinado o contrato. E assim, o filme se tornou famoso, muita gente quis dar uma espiada. O primeiro pensamento que surgiu na cabeça das pessoas foi: Kim abandonou o filme ao descobrir que as cenas de sexo eram fortes demais (que bobagem, ela usou uma dublê de corpo em ''nove semanas''). Não tem nada a ver com sexo, talvez o motivo tenha sido apenas a estranheza do filme. Ele é dirigido pela filha de David Lynch, e a moça tentou copiar o estilo do pai.
Na trama de ENCAIXOTANDO HELENA, temos um cirurgião (Julian Sands, muita gente tinha uma queda por ele na época) que está perdidamente apaixonado por uma mulher que não dá a mínima pra ele. Aí ela sofre um acidente e fica incapacitada. O cara se aproveita da situação e a prende em sua casa, ela será sua prisioneira até que aprenda a corresponder o amor do doutor. Quando a moça tenta fugir do local, ele a deixa ainda mais incapacitada, ou seja, aos poucos, ele vai removendo cirurgicamente os braços e as pernas da pobre mulher.
Não sei se o filme poderia ser salvo se o final fosse outro. Porque aquele final irritou muita gente, ele faz você de bobo. É aquele final arriscado, ame ou odeie.

FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: boxing Helena
ANO: 1993
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 107 min
DIRETORA: Jennifer Chambers Lynch
ELENCO: Julian Sands, Sherilyn Fenn e Bill Paxton

19/09/2014

FUCK YEAH! JARED LETO (de novo)


GUIA DE SOBREVIVÊNCIA:

PARA VER AGORA:
Réquiem para um sonho

GAY GAY GAY:
Clube de compras Dallas
Alexandre

PELADÃO:
Fuga desenfreada

VEJA TAMBÉM:
Lenda urbana
Além da linha vermelha
Clube da luta
Garota, interrompida
Psicopata americano
O quarto do Pânico

PRIMEIRA IMPRESSÃO

THE DEADPOOL MOVIE (fevereiro de 2016)

FUCK YEAH! JAMIE DORNAN




Ok, prometo dar uma espiada em ''50 tons'' em 2015.
 

PRIMEIRA IMPRESSÃO

POPEYE 3D

FUCK YEAH! EDDIE CIBRIAN


em cartaz - LIVRAI-NOS DO MAL


Não consigo me lembrar quando foi a última vez em que vi um filme de terror decente na tela grande (acho que foi em 2007). O Terror é um gênero maldito, precisa inovar sempre. Achei que LIVRAI-NOS DO MAL seria legal. O filme tem algumas partes legais, a criança no zoo, o gato na cruz, a mulher caída no asfalto, ele sabe ser nojento e chocante, mas na maior parte do tempo pisa na bola. Ele tem um ótimo impacto visual quando quer, porém, não tira muito proveito disso. E o modo de assustar é bem clichê. Tudo bem, Eric Bana (vontade de pegar no colo) é um policial que trabalha no turno da noite, por isso o filme é tão escuro. Mas nenhuma lanterna consegue se manter acesa por muito tempo porque o filme gosta de esconder as coisas assustadoras no escuro. E esse é o seu único recurso, do começo ao fim.


 - É um filme de terror. Por que estamos excitados?


Baseado numa historia real (caso você acredite nesse tipo de bobagem), o filme mostra um policial que vai checar um distúrbio doméstico no meio da madrugada. Depois pinta um caso de uma mulher maluca no zoo e uma família que diz que o porão está assombrado. Logo, o cara descobre que há uma conexão entre os três casos. Pessoas que, do nada, começam a surtar e fazem coisas horríveis. Em um determinado momento, o policial cético vai ter que pedir ajuda a um padre, que toma conta da maluca do zoo, porque o negócio ficou bizarro demais. Se você viu ''o exorcista'', deve se lembrar de toda aquela burocracia da igreja na hora de autorizar um exorcismo. Neste filme, o super padre faz o que der na telha sem dar satisfações. Um pouco antes do final, parece que o filme vai se recuperar, mas aí pinta a ridícula sessão de exorcismo e ele se transforma, em seguida, numa propaganda descarada do cristianismo. E por falar em filmes bancados por crentes, o remake de ''deixados para trás'' (com Nicolas Cage) será lançado no próximo mês. Fuja desse filme (o livro deveria ser proibido), prefira aquela versão com James Franco e Seth Rogen.














FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: deliver us from evil
ANO: 2014
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 118 min
DIRETOR: Scott Derrickson
ELENCO: Eric Bana, Édgar Ramírez e Olivia Munn
DATA DE ESTREIA NO BRASIL: 18 de setembro
VEJA TAMBÉM: [Rec], O exorcismo de Emily Rose.

18/09/2014

em cartaz - UM MILHÃO DE MANEIRAS DE PEGAR NA PISTOLA


Esse é um filme do tipo ''dê uma chance''. Se você já está por dentro do trabalho de Seth MacFarlane, não vai achar o filme estranho, pode até gostar. Em ''Ted'' o cara reciclou várias piadas do seriado ''uma família da pesada'', desta vez ele fez algo novo, mas o humor negro é o mesmo. Fãs do seriado animado podem até se divertir. O filme é uma comédia, mas como se passa no velho oeste também tem muita violência. São várias as cenas de morte, e algumas são tão fortes que comprometem a comédia, não é um filme para todos os públicos. E alguns trocadilhos em inglês se perdem nas legendas brasileiras. No geral, são muitas as piadas que se salvam. UM MILHÃO DE MANEIRAS DE PEGAR NA PISTOLA é também uma comédia romântica, nenhuma novidade nesse quesito, piadas atuais são levadas até 1882 como se o filme fosse uma animação.


- Aquilo é ... um DeLorean voador?

Albert (Seth) é um pacato criador de ovelhas que odeia morar no velho oeste, um lugar onde você pode morrer a qualquer momento por várias razões (título original do filme). Após um duelo de pistolas, do qual ele conseguiu escapar ileso, sua namorada (Amanda Seyfried) termina o relacionamento. Alguns dias depois, ela está nos braços de Neil Patrick Harris. Num raro momento de fúria, Albert, que nem sequer sabe atirar, desafia o sujeito para um duelo. Ele vai ter uma semana para se preparar e será treinado por uma misteriosa mulher chamada Anna (Charlize Theron), que atira muito bem. Na verdade, ela é casada com um perigoso pistoleiro que está a caminho da cidade (Liam Neeson), ele é o vilão da história, sem tempo para piadas, desequilibrando um pouco o clima do filme. Referências a outros filmes, e a modismos atuais, estão por toda parte. E o filme traz várias participações especiais, gente famosa que aparece por meio segundo na tela. Num determinado momento, surge um famoso ator recriando uma cena de uma famosa trilogia. Eu ri tanto nessa hora, foi a melhor piada do filme, estou doido pra rever isso em dvd. E o dvd já existe lá fora, esse filme está chegando ao Brasil bem atrasado. Bônus, nem acredito que tocou ''Tarzan boy''...











FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: A Million Ways to Die in the West
ANO: 2014
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 116 min
DIRETOR: Seth MacFarlane
ELENCO: Seth MacFarlane, Charlize Theron, Amanda Seyfried, Liam Neeson, Giovanni Ribisi e Neil Patrick Harris
DATA DE ESTREIA NO BRASIL: 18 de setembro
VEJA TAMBÉM: Vestida para casar, A verdade nua e crua.

FELIZ ANIVERSÁRIO JAMES MARSDEN (41)






Ao lado dos amigos (Robert Pattinson, David Oyelowo, Armie Hammer, Parker Young, Jeremy Sisto, Zachary Levi, Eddie Redmayne e Channing Tatum).