30/10/2014

ESPECIAL DO DIA DAS BRUXAS (ano 7)


Em 2011, o tema foi ''filmes clássicos''. Eu queria ter feito uma postagem maior, queria falar também sobre atores e diretores. Então resolvi fazer isso agora, mas você vai sentir a falta de alguém, porque a lista tem apenas 13 nomes. Por que 13? Ora essa, é Halloween...





1- Bela Lugosi
O mais famoso Conde Drácula. Nasceu como Be'la Ferenc Dezso Blasko, na Europa oriental, em 1882. Foi tenente de infantaria durante a Primeira Guerra Mundial e abandonou a carreira militar pra fazer cinema, seu maior sonho. Ele não falava muito bem o inglês mas se tornou cidadão norte americano em 1931. Quando faleceu em 1956, foi enterrado com seu famoso traje de Drácula, seu último desejo em vida.
Para ver agora: Drácula (1931), Assassinatos na rua Morgue (1932), Zumbi, a legião dos mortos (1932), A marca do Vampiro (1935), O Lobisomem (1941), Frankenstein encontra o Lobisomem (1943), Plano 9 do espaço sideral (1959).



2- Boris Karloff
William Henry Pratt nasceu em 1887, na Inglaterra. Ele foi escolhido pelo diretor James Whale para interpretar o monstro de Frankenstein, por conta de seus traços fisionômicos peculiares (sem maquiagem ele já é bem assustador), na primeira versão sonorizada do filme. Seu rosto ainda serviu de inspiração para o incrível Hulk nas HQs. Ficou famoso na pele do personagem embora tenha interpretado o monstro apenas 3 vezes. Faleceu em 1969.
Para ver agora: Frankenstein (1931), A noiva de Frankenstein (1935), O filho de Frankenstein (1939). Apenas a voz: A festa do monstro maluco (1967).



3- Christopher Lee
Sir Christopher Frank Carandini Lee nasceu na Inglaterra em 1922. Mudou a cara do Conde Drácula com um personagem mais sedutor, obscuro, arrogante, cruel e calculista. O ator é primo de Ian Fleming, o criador de James Bond, e foi o vilão do 9º filme do agente secreto. Voltou ''dos mortos'' com estilo na virada do século, em ''star wars'' e em ''o senhor dos anéis''. Durante os anos 80 e 90 ele passou a maior parte do tempo na televisão.
Para ver agora: Drácula, o vampiro da noite (1958), O cão dos Baskervilles (1959), Drácula, o príncipe das trevas (1966), A casa que pingava sangue (1970).



4- Zé do Caixão
José Mojica Marins, o mestre do terror brasileiro, também é famoso no exterior, onde ele é chamado de Coffin Joe. Além dos filmes, ele também já escreveu HQs de terror. Alguns de seus filmes você não encontra facilmente em dvd br. O cara se tornou mais famoso lá fora porque seus filmes foram proibidos no Brasil durante a ditadura militar. O personagem Zé do Caixão surgiu em 1963, num pesadelo de Mojica. O nome foi tirado de um carro da Volkswagen, que no Brasil recebeu o apelido de ''Zé do Caixão'', por ser todo quadrado.
Para ver agora: À meia noite levarei sua alma (1963), Esta noite encarnarei no teu cadáver (1966), O estranho mundo de Zé do Caixão (1968), O despertar da Besta (1970).



5- Lon Chaney
Nascido em 1883, filho de pais surdos-mudos, ele começou sua carreira no cinema mudo, como o Corcunda de Notre Dame e o Fantasma da ópera. Ele fabricava sua própria maquiagem. Era chamado de ''o homem das mil faces''. Entre 1912 e 1930, esteve presente em mais de 160 filmes, chegou a dirigir 7 curtas e cuidou da maquiagem de 4 filmes.
Para ver agora: O corcunda de Notre Dame (1923), O monstro (1925), Trindade maldita (1925), Vampiros da meia noite (1927).



6- Lon Chaney Jr
Filho do famoso Lon Chaney, Creighton Tull Chaney nasceu em 1906. Depois que sua mãe tentou se matar em 1913, ele foi parar numa instituição para órfãos e pais separados por determinação da justiça. Voltou a morar com o pai quando ele se casou novamente. Júnior sempre quis ser ator mas seu pai não aprovava isso. Quando Lon Chaney morreu em 1930, o rapaz começou a fazer cinema no ano seguinte. Chegou ao auge da fama em 1941, em ''O Lobisomem''. Ele também encarnou outros monstros durante sua carreira, como Drácula, o monstro de Frankenstein e a Múmia.
Para ver agora: O Lobisomem (1941), Frankenstein encontra o Lobisomem (1943), O filho de Drácula (1943).



7- Peter Cushing
Peter Wilton Cushing (1913-1994) foi o parceiro de Christopher Lee em vários filmes. Viveu o Dr Frankenstein 7 vezes, o Dr Van Helsing 2 vezes e também já foi o Sherlock Holmes. Em 1977 esteve presente no primeiro Star Wars, ele era o Grand Moffin Tarkin. E ganhou um olho gigante em ''top secret'' (1984).
Para ver agora: O carniçal (1975), A fera deve morrer (1974), Frankenstein e o monstro do inferno (1974), As noivas de Drácula (1960), ... E Frankenstein criou a mulher (1967).



8- Vincent Prince
Vincent Leonard Price Jr (1911-1993), o Mestre do Macabro, veio de uma família rica, fez teatro e migrou para o cinema em 1938. Ficou famoso nos anos 1950 quando começou a atuar em filmes de terror, muitos eram adaptações de contos de Edgar Allan Poe. Permaneceu no gênero até o fim de sua vida. Nos anos 1980, atuou em ''mansão da meia noite'' ao lado de Peter Cushing e Christopher Lee. Fez a narração do clip ''Thriller'' do Michael Jackson e fez a voz do professor Ratagão em ''As peripécias de um ratinho detetive''. Seu último filme foi ''Edward mãos de tesoura''.
Para ver agora: A mosca da cabeça branca (1958), O solar maldito (1960), A máscara da morte vermelha (1964), O abominável Dr Phibes (1971), O uivo da bruxa (1970).



9- Wes Craven
O diretor Wesley Earl ''Wes'' Craven (1939) deixou de ser professor para fazer filmes ... eróticos, usando outro nome. Naquela época, esses filmes eram bem curtinhos. Seu primeiro longa metragem pintou em 1972 e era um filme de terror, ''Aniversário macabro''. Em 1984 ele mudou a cara do terror com ''A hora do pesadelo'', com uma ajudinha de Robert Englund (o Freddy Krueger) e fez isso novamente em 1996, em ''Pânico'', com uma ajudinha do roteirista Kevin Williamson. Wes já dirigiu 29 filmes, entre eles, uma comédia e um romance, o restante é tudo terror.
Para ver agora: Aniversário Macabro (1972), Quadrilha de sádicos 1 e 2 (1977/84), O monstro do pântano (1982), A hora do pesadelo (1984), Quadrilogia Pânico (1996/97/00/11).




10- George A. Romero
O diretor George Andrew Romero (1940) é o pai dos zumbis. Em 1968, com apenas 100 mil dólares no bolso, ele lançou o aclamado ''A noite dos mortos vivos'', criando regras que são seguidas até hoje nos filmes de zumbis. E tinha um herói negro no filme, o destino do cara era uma crítica ao racismo. Mensagens desse tipo estavam sempre presentes em seus primeiros filmes de zumbis. Romero já dirigiu outros filmes de terror, mas sempre voltava para os zumbis, fazia um filme sobre eles a cada dez anos mais ou menos (68,78,85). Nos últimos anos lançou três continuações seguidas (2005/07/09), as duas últimas são bem fraquinhas.
Para ver agora: A noite dos mortos vivos (1968), O despertar dos mortos (1978), Dia dos mortos (1985), Terra dos mortos (2005).



11- Sam Raimi
Samuel Marshall Raimi (1959) também se arriscou nos cinemas com pouca grana no bolso. Ele ainda estava estudando cinema quando reuniu os amigos e dirigiu ''The evil dead''. O filme foi um sucesso e ganhou uma nova versão, ''Uma noite alucinante'', e uma sequência cheia de ação e comédia. Foi só em 2009, depois de dirigir a trilogia do Homem Aranha, que Sam Raimi resolveu voltar ao gênero do terror pegando pesado. ''Arrasta-me para o inferno'' é um filme que faz homenagens aos clássicos do terror, está cheio de clichês de propósito, mas nem todo mundo pescou a ideia.
Para ver agora: The evil dead (1981), Uma noite alucinante (1987), Uma noite alucinante 3 (1993), O dom da premonição (2000).



12- Tobe Hooper
Outro cara com pouca grana no bolso que fez maravilhas com a ajuda dos amigos. Em 1974, ''O massacre da serra elétrica'' entrou para a história como um dos melhores filmes de terror já feitos. Custou 140 mil e rendeu 40 milhões ao redor do mundo. Hooper se tornou o pai do gênero Slasher. Foi parar em Hollywood e investiu no terror. Em 1982 fez parceria com Steven Spielberg e dirigiu um dos grandes sucessos do cinema mundial - ''Poltergeist, o fenômeno''. Não foi muito bem sucedido na continuação de ''O massacre da serra elétrica'' em 1986, foi parar na televisão, dirigiu alguns poucos filmes nos anos 1990 e depois voltou para a tv. Vez ou outra ele dirige um episódio ou dois de algum seriado.
Para ver agora: O massacre da serra elétrica (1974), Pague para entrar, reze para sair (1981), Poltergeist o fenômeno (1982).



13- Clive Barker
Clive Barker (1952, Inglaterra) criou uma companhia de teatro em Londres quando tinha 21 anos. Ele mesmo escrevia as peças e o tema era o terror. As peças foram transformadas em livros e nos anos 1980 ele lançou a coleção ''Livros de sangue''. Os livros se tornaram best sellers nos isteites depois que Stephen King deu uma entrevista elogiando o trabalho de Barker. Seu terror tem boas doses de sangue, sexo e sadomasoquismo. Em 1987 ele escreveu e dirigiu ''Renascido do inferno (hellraiser)''. Também escreveu algumas das continuações e novos livros (19 entre 1985 e 2011). ''Hellraiser'' migrou para as HQs e vídeo games, já foram lançados 8 filmes e um remake do primeiro filme já foi prometido.
Para ver agora: Renascido do inferno (1987), Raça das trevas (1990).





Cassandra Peterson, Stephen King, Tim Burton, Dario Argento, John Carpenter, Maila Nurmi, Guillermo del Toro e Alfred Hitchcock.

DÊ UMA CHANCE PARA ...


Está chovendo lá fora e você não quer grandes emoções. Que tal NU EM NOVA YORK? O filme tem material para gerar fortes emoções, mas não aposta nisso, é um filme muito tranquilo, pode irritar algumas pessoas. Faz o tipo ''quase nada acontece''.
Jake (Eric Stoltz aparece peladão várias vezes mas não há muito o que se ver...) foi abandonado pelo pai quando ainda era um bebê e foi criado pela mãe emocionalmente instável. Aos 18, ele conheceu Joanne (Mary-Louise Parker) e se apaixonou por ela. Eles passam a morar juntos, ela é fotógrafa e ele escreve peças. A carreira da moça decola com a ajuda de Timothy Dalton, que parece estar a fim dela. E o rapaz só consegue um trabalho quando seu melhor amigo, Ralph Macchio (que continua morando em NY e que é secretamente apaixonado por ele), mostra sua mais nova peça para Tony Curtis.
Com Joanne viajando para todo lado com o ex James Bond, Jake parte para NY para trabalhar em sua peça. Tony Curtis faz alterações no roteiro e contrata a canastrona Kathleen Turner para o papel principal, ou seja, eles estão arruinando a peça do rapaz. 
E Jake ainda começa a suspeitar que Joanne o está traindo. E o que ele faz? Nada. Ele não toma decisões importantes e deixa tudo como está porque acredita que no final tudo vai se acertar sozinho. Mas nem mesmo o filme acredita em finais felizes, alguns assuntos ficam sem conclusão e tudo termina, the end. Acho que o filme só está tentando passar uma mensagem otimista sobre a vida (mas o personagem principal não ajuda). O filme realmente tem drama de menos.
Vale a pena pelas participações especiais. Tem Whoopi na porta do teatro. E tem um pessoal antes da fama, como Calista Flockhart e Chris Noth.

FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: naked in new york
ANO: 1993
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 95 min
DIRETOR: Daniel Algrant
ELENCO: Eric Stoltz, Mary-Louise Parker, Tony Curtis, Kathleen Turner e Ralph Macchio.

VOCÊ É TÃO FUCKING HOT, RAOUL BOVA

Eu o vi pela última vez em 2004 (alien vs predador). 
Ele já era bonitão na época, agora se superou.




Por onde anda?
Voltou pra Itália e agora só faz filmes italianos.

FUCK YEAH! BRENDAN FEHR


Brendan Fehr completou 37 anos ontem (foi mal, eu estava ocupado e tal). Em 2004 ele esteve presente num filme temático chamado SUGAR, eis aqui algumas cenas do cara. Mas você só vai se ''divertir'' com o filme se encontrar a versão sem censura.









Foi bom pra você? Parece que não...

PRIMEIRA IMPRESSÃO


ORGULHO E PRECONCEITO E ZUMBIS
(espero que seja bom, o livro foi meio chatinho)

TRAILER - NINGUÉM CONSEGUE LEVANTAR ESSA COISA

















Corpão = bilheteria


ESTREIAS DA SEMANA


Filmado ao longo de 12 anos, "Boyhood" acompanha o crescimento de seu protagonista e de seu ator, dos 5 aos 18 anos, diante dos olhos do público. O filme reflete sobre o crescimento e os momentos mais marcantes vividos por qualquer jovem, da infância à adolescência. Duração 163 minutos.



Em ''O melhor de mim'', Amanda e Dawson se apaixonam, mas o pai da garota não aprova o relacionamento e os jovens acabam se afastando. Anos mais tarde, um funeral faz com que os dois voltem à cidade natal e se reencontrem. O filme é baseado no romance de Nicholas Sparks. Duração 118 minutos.



Cinebiografia do cantor Tim Maia: sua vida e trajetória na música e os problemas que afetaram sua vida pessoal e o levaram a uma morte prematura. O filme se baseia no livro "Vale tudo – O som e a fúria de Tim Maia", de Nelson Motta. Duração 140 minutos.

PRÓXIMAS ESTREIAS:

Interstellar
Made in China
Mão na luva
November Man, um espião nunca morre

29/10/2014

LABIRINTO - LEVE O NICOLAS CAGE ATÉ O ALADDIN


NICOLAS CAGE se casou com ____ em ''o feitiço da lua'' e ela foi a mãe de _____ em _____, que teve seu colchão d'água furado por _____ no filme ______ dirigido por Tim Burton que dirigiu _____ em _____ com Michele ______, a moça virou um falcão em ______ e uma loba em ______ por ter se apaixonado por _____ que estrelou ''os infiltrados'' com ______ que ganhou um Oscar por _____, que é um filme que também ganhou um Oscar de melhor ator coadjuvante para ______ que fez a voz do  ______ em ALADDIN.

DIGA ''SIM'' ÀS DROGAS


O Godzilla de 1998 tinha muitos problemas, mas depois de ver o Godzilla de 2014, fiquei com saudades do filme de Roland Emmerich. Pelo menos havia muito mais Godzilla na tela, e ele barra ela era bonitinho. O filme dava muito mais atenção aos personagens humanos, e haviam vários deles, enfrentando a ameaça separadamente e lidando com seus problemas pessoais, era tipo ''Independence day''. Uma continuação foi logo descartada, porém, o filme de 2014, uma droga que eu nunca vou recomendar, já tem uma continuação garantida. O Godzilla de 1998 tinha um certo charme e não deixava a comédia de lado.
O filme começava mostrando a origem da criatura. E fazia bastante suspense antes de sua primeira aparição oficial. E fazia isso muito bem. Pegadas gigantes, um navio em terra firme, uma onda enorme com espigões ... o filme atropela o realismo para poder criar esse suspense. Uma criatura absurdamente grande, surge do nada, desaparece da vista de todos dobrando uma esquina em Manhattan, faz um ninho e bota centenas de ovos no Madison Square Garden e ninguém viu nada. 
Godzilla faz o exército de bobo, nenhum helicóptero consegue acompanhá-lo. E aí o pessoal espalha peixes pela rua para atrair o bicho. Ele leva um choque na boca e solta o taxi que cai suavemente no chão e segue seu rumo. E aí o Matthew diz que o Godzilla é hermafrodita e que está grávido e um milhão de japoneses se engasgam com kani kama do outro lado do mundo.
Godzilla sai de cena e dá espaço para seus filhotes. Aí o filme vira um jurassic park, é uma parte legal. Depois o bicho volta e encontra seus filhotes mortos, uma cena de partir o coração. O gancho que surge no final é muito clichê, mas tudo bem, o filme gerou brinquedos incríveis na época, e o CD estava cheio de músicas legais. Até os vídeo clips eram temáticos: the wallflowers, Jamiroquai, Puff Daddy ...

FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: idem
ANO: 1998
PAÍSES: eua, japão
DURAÇÃO: 139 min
DIRETOR: Roland Emmerich
ELENCO: Matthew Broderick, Jean Reno, Maria Pitillo, Hank Azaria e Harry Shearer.

A EVOLUÇÃO DOS VAMPIROS

VOCÊ SABE OS NOMES DOS FILMES?