14.1.15

POR ONDE ANDA ESSE FILME?


''Deixe a luz acesa'' chegou a estrear no Brasil, ironicamente, quando fui ver o filme, caiu uma tempestade, a rua Augusta se tranformou num rio e faltou luz no cinema. Mas será que, naquele dia, eu perdi alguma coisa? Esse filme recebeu aquele carinhoso elogio que nós já estamos cansados de ouvir, alguém abriu a boca e disse ''é o novo Brokeback mountain''. Rapaz, não tem nem comparação, neste filme de 2012 o romance é quase zero. O filme começa em 1998 e vai avançando no tempo. No início vemos Erik e Paul como um casal feliz, Paul tem um probleminha com drogas, mas Erik é tão apaixonado por ele que aceita qualquer coisa. Às vezes Paul desaparece, passa uma noite inteira fora, e Erik evita fazer perguntas porque isso deixa Paul irritado. Quer dizer, ele ama tanto o rapaz que simplesmente tenta se adaptar para evitar que esse relacionamento termine. Paul tem seus segredos e Erik fica sempre de boca fechada. Com o passar dos anos, a situação vai ficando cada vez mais insuportável para Erik, e aí você começa a odiar o personagem, ele não tem amor próprio e perdoa o namorado todas as vezes. Erik ama de verdade o rapaz, nada contra isso, mas, ao ver o relacionamento dos dois pelo lado de fora, não tem como você não sentir pena ou raiva do cara. Não faltam oportunidades para Erik mudar de vida e encontrar alguém que realmente mereça seu amor e sua dedicação. Paul não vale um biscoito, mas Erik não vai desistir dele (e aí o filme se equilibra entre o romântico e o patético). É possível curtir o filme se você não estiver procurando um romance, mas precisa estar no clima certo, ou o filme vai te deixar pra baixo.

FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: keep the lights on
ANO: 2012
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 101 min
DIRETOR: Ira Sachs
ELENCO: Thure Lindhardt e Zachary Booth.

2 comentários:

Anónimo disse...

ótima indicação ano passado. Vi e de fato gostei. Bem, é, gostei.

Rafael Caribé disse...

O novo filme do diretor desse filme é ótimo, O Amor é Estranho, que recebe críticas muito boas e foi indicado em várias categorias no indie spirit. O único probleminha é que Alfred Molina e Join Lightow não são nenhum pouco sexys como esse casal. Mas o filme é uma graça!