3.9.16

em cartaz - STAR TREK, SEM FRONTEIRAS


Eu sou fã de Jornada nas estrelas desde criança, não consigo assistir a série clássica sem acompanhar, em voz alta, o narrador na abertura. E eu tenho todos os filmes, todos os 13, e alguns episódios da Nova Geração. Tecnicamente, eu gosto de tudo que está relacionado a essa franquia (quero Lego também, por favor). Este ano, Star Trek está comemorando 50 anos, esse novo filme traz várias referências (até a mão gigante e verde está lá) e ele também é dedicado ao ator Leonard Nimoy, bastante mencionado neste filme. É tudo muito tocante e tal, mas tá faltando alguma coisa...


Poltrona reservada


A Enterprise já está no terceiro ano, de sua missão de cinco anos, e o tédio já começa a tomar conta da tripulação. O pessoal faz uma parada numa estação espacial (simplesmente o cenário digital mais incrível que já vi num filme da franquia) e Kirk revela sua vontade de deixar o comando da nave. Enquanto isso, Spock e Uhura lidam com o final do relacionamento. Aí pinta um pedido de socorro e a Enterprise entra numa turbulenta nebulosa onde é atacada por naves desconhecidas. A Enterprise é destruída e os tripulantes vão parar num planeta não mapeado. Aí a coisa desanda, a trama é muito rasa, o roteiro é pouco trabalhado, o vilão, Idris Elba, tem uma super arma nada original ... não se trata de um mega evento, tem jeito de ''apenas mais um capítulo da saga''. O filme poderia ter diminuído a duração de algumas cenas explosivas para investir mais na relação do dr McCoy com Spock, já que os dois acabam sozinhos num canto do planeta. O vilão Krall tem uma história trágica que foi pouco explorada, e nem ficou claro se ele teve ou não um momento de redenção. Mas o filme apela, e muito, para a nostalgia. Nenhum fã pode reclamar disso.













FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: star trek beyond
ANO: 2016
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 122 min
DIRETOR: Justin Lin (velozes e furiosos 3,4,5,6)
ELENCO: Chris Pine, Zachary Quinto, Karl Urban, Zoe Saldana, Simon Pegg, John Cho, Anton Yelchin, Sofia Boutella e Idris Elba
ESTREIA BR: 1º de setembro


NA POLTRONA
10 min - a volta para casa
30 min - a ira de Krall
1 hora - a terra desconhecida

4 comentários:

Anónimo disse...

e sobre o personagem gay que teria no filme era verdade?

ALESSANDRO SKYWALKER disse...

Bom, o Sulu reencontra a família, pega a filha no colo e abraça o maridão. Coisa rápida, o filme trata isso da maneira mais natural possível, ninguém se levantou e saiu do cinema por conta disso.

Leonardo disse...

Falando nisso, viu esse gif do Takei?

http://66.media.tumblr.com/cbbfc4c0842fce0556041236d4fa4023/tumblr_ocv4d45ntr1vb8iomo1_500.gif

ALESSANDRO SKYWALKER disse...

wow

disparar feisers, senhor Sulu !!!