15.9.16

CHP CLASSIC


Olha só o que a França andava aprontando nos anos 1950. Nos isteites ainda era proibido mostrar um homem e uma mulher dormindo na mesma cama, não podiam mostrar nem vasos sanitários. Neste curta temático de 1954, temos nudez masculina e um amor proibido, entre dois homens.

Em CANÇÃO DE AMOR (Un chant d'amour), vemos dois presidiários separados por uma parede (na verdade é uma lona, mas finja que é uma parede, não estrague o filme), eles estão doidos por qualquer tipo de contato humano. Estão se comunicando por um buraquinho, dividem um cigarro e até fazem sexo desta maneira. Um dos guardas da prisão costuma passar pelo pedaço, ele gosta de olhar. Algumas sequências rolam no mundo da fantasia, ou podem ser flashbacks. É um tanto complicado de entender, o filme é mudo, nada de diálogos, nem sequer tem trilha musical, nada de nada de som. Vale a pena pela homo-história de amor. Quantos filmes, nos anos 1950, mostravam esse tipo de coisa?

Opa, mas o filme teve problemas para estrear na telona. Em 1954, na França, teve que sofrer alguns cortes. Dez anos depois foi parar nos isteites e a polícia impediu a exibição do curta. Dois anos depois, foi barrado pelos religiosos de plantão. O filme só conseguiu estrear em 1972, na Dinamarca. Ganhou uma nova versão, com trilha musical, em 1975.

É possível encontrar o curta na web, acho que ainda tem uma cópia no youtubo (até alguém resolver fazer uma denúncia por conta da nudez masculina).



3 comentários:

Anónimo disse...

Píramo e Tísbe homoversão. Tem amoras?
O policial é a lua que os vigiava constantemente.

Raul disse...

Falando nisso, teve um documentário produzido para o canal de TV franco-alemão Arte sobre Hollywood, os Filmes chocantes do início e o código moral que abafou muitas tendências do Cinema americano.

Anónimo disse...

Com seus poucos recursos e as limitações da época, esse filme impressiona e muito poético.