3.5.16

GALERIA DO TERROR


''Grite enquanto você ainda pode respirar''
O filme não mete medo mas é muito divertido, foi co-escrito por Frank Darabont (the walking dead), e se trata de um remake. Eu já cansei de procurar pelo filme original de 1958. Essa versão de 1988 não faz feio, ela capricha na geleca e nos tentáculos.

Você já deve ter se cansado de ver A BOLHA ASSASSINA na televisão, com o Selton Mello entre os dubladores. O filme não tem pressa, ele começa com a apresentação dos personagens. 
Cidade pequena, do interior. A adolescente, líder de torcida, filhinha de papai, que sabe engrossar quando a barra fica pesada. O bad boy da cidade, com um coração gentil. O xerife que quer prender o bad boy. O padre que se mete na vida de todo mundo e por aí vai.
A novela é bruscamente interrompida quando um meteoro cai trazendo a bolha assassina. Ela devora um mendigo e depois pega o namorado atleta, jogador de football, da mocinha. É claro que os adultos não acreditam na história da moça, então ela e o bad boy se juntam e tentam resolver o mistério.

Quando a bolha rosa atinge um tamanho de respeito, todo mundo na cidade dá no pé. E o exército aparece rapidinho para destruir o bicho. Existe uma boa explicação para isso no final.
Ah, o final. O maldito padre guarda um pedacinho da bolha e decide esperar por um sinal dos céus para dar início ao apocalipse. Não tem nada disso no filme de 1958, a bolha era uma gelatina vermelha, era fácil fugir dela, poucas pessoas morreram, mas o bad boy da cidade era bonitão.






1 comentário:

Porralouquices disse...

É tem um pessoal que até curte esse filme, eu ainda não vi - alias, faz tempo que não vejo filme de terror.