12.2.16

em cartaz - DEADPOOL


E aí o Rey Rey resolveu limpar a imagem do Deadpool após aquela desastrosa estreia no primeiro filme do Wolverine. O teaser falso foi um sucesso e o estúdio se animou em produzir um longa metragem. Desde então, o mercenário apareceu em vários vídeos e posters e fotos promocionais, uma mais maluca que a outra. A estratégia deu certo, quem não conhecia o personagem ficou curioso, peguei uma sessão com bastante gente na sala. Um filme feito por fãs, para os fãs, tem tudo para dar certo. DEADPOOL é incrivelmente fiel aos quadrinhos. Ou seja, é um filme muito divertido.


- Meu novo uniforme vai ser verde e digital


Enquanto Deadpool está caçando um cara, o x-men Colossus aparece tentando recrutar o mercenário pela enésima vez. Pool não quer ser um x-men, ele só quer matar o cara que arruinou sua vida e aí pintam os flashbacks que contam a origem do personagem. Wade Wilson, um mercenário de aluguel, conhece a prostituta Vanessa (Morena Baccarin) e os dois vivem uma história de amor. Aí o cara descobre que tem câncer terminal. Um sujeito misterioso aparece e lhe promete uma cura. Wade passa por um procedimento e se torna um mutante com fator de cura, mas sua aparência física está arruinada. Ele até desiste de voltar para Vanessa, agora só quer saber de vingança.
O filme é uma história de amor, com muita comédia, você nem vai notar as altas doses de violência. Deadpool conversa com você, ele sabe que tá dentro de um filme, não perdoa a Disney e nem a Warner com suas piadinhas, e há muitas, muitas piadas engraçadas. Não se trata de uma sátira de filmes de super heróis, é apenas o Deadpool, o cara que tá por dentro dos bastidores desse tipo de filme. 
Deadpool é a primeira grande surpresa do ano.












FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: idem
ANO: 2016
PAÍSES: eua, canadá
DURAÇÃO: 1h 48min
DIRETOR: Tim Miller
ELENCO: Ryan Reynolds, Ed Skrein e Morena Baccarin
ESTREIA BR: 11 de fevereiro

4 comentários:

Anónimo disse...

Tem nu frontal no filme?

ALESSANDRO SKYWALKER disse...

o Rey Rey, todo deformado, luta contra o vilão peladão. Dá pra ver uma coisa balançando, mas é sempre rápido e tá sempre no escuro

Anselmo disse...

Eu não tinha muito interesse no filme, fui ao cinema praticamente sem saber o que iria assistir e foi a melhor coisa que fiz. O filme não é excelente, tem uns probleminhas aqui e ali. Talvez o orçamento seja o maior deles, o que fica visível pelo clímax. Faltou uns trocados pra ficar mais bem feito.
O tom do filme já é dado nos créditos iniciais e se eleva durante a projeção. Nunca pensei que iria rir tanto com um filme de "super herói". Atirando pra todos lados, não deixa nem o próprio Ryan Reynolds de fora das piadas, o ator carrega o filme nas costas diga-se de passagem. Um sem numero de referencias a cultura pop é a cereja do bolo. Não sei se ri alto demais, mas não percebi outros ao redor reagindo quando Sinéad O'Connor foi mencionada pela primeira vez...
Violento, porem divertido acima de tudo, talvez não seja para todos os públicos, mas já quero ver outro e inclusive ver como fica a dinâmica deadpool/x-men daqui pra frente, afinal o anti-herói já esta se tornando um fenômeno de bilheteria.
A cena pós credito vale ficar até o final!!!

Anónimo disse...

Não detestei porque adoro referências e citações. Mas a presença dos X-men no filme é muito chata. O filme fica num vai e vem sem graça que não faz a gente se interessar pela dor do personagem.

Acho que de fato é de fã pra fã.

E você ainda torce o nariz para Batman & Robin. tsc tsc tsc