30.9.15

TÁ TODO MUNDO QUASE LOUCO



Esqueci o nome do cara. Preciso de um nome. Que tal Edward? Ele lembrava um pouco o Edward Norton. Eu estava numa boate gay, segurando uma parede para ela não cair (pra variar) e ele apareceu. Fomos ao cinema no dia seguinte e depois a gente foi parar na casa dele. O sexo foi complicado porque ele disse a bendita frase: eu não faço esse tipo de coisa.
Qual é o problema com esse tipo de coisa? Todo mundo faz esse tipo de coisa. É básico. Está nas primeiras linhas do manual de sexo gay.
- Sabe o que eu gosto de fazer? - ele perguntou.
Ok, me surpreenda.
Argh, aquilo foi terrível, que coisa mais sem graça. Ele chama aquilo de sexo? Quando eu tinha 12 anos, eu e um amigo tivemos um momento ''Lagoa azul'', descobrindo tudo por nossa conta. Mas a gente chegou no ato sexual, propriamente dito, rapidinho. Edward, em algum momento, decidiu que não queria crescer e ficou só nas brincadeirinhas. Inventei uma desculpa, não muito boa, e fui embora.

Alguns dias depois, encontrei um amigo que conhecia o Edward (bem, cidade pequena, vá lá). E ele me disse que havia conversado com o cara sobre mim. Edward havia me chamado de louco, ''acho que aquele cara não bate muito bem''.
Ok, eu sabia que minha desculpa esfarrapada não iria colar, mas não era eu quem estava naquela cama bancando a ''beata-de-meia-idade-lésbica-enrustida-tímida-com-medo-de-engravidar-ao-menor-toque-por-isso-é-melhor-nem-tirar-a-roupa''. Então fiquei furioso.

Encontrei o Edward no cinema algum tempo depois. Ele estava acompanhado. O namorado era bonitão. E eu que faço sexo normal não arrumo ninguém, tá certo. Angelina Jolie era a cara da Lara Croft, mas o filme não se parecia muito com o game. Fiquei desanimado, eu curtia bastante Tomb Raider no playstation. Vi o namorado do Edward se levantar e sair da sala. O filme tava um porre, resolvi ir atrás do cara.
Certo, o que eu vou fazer? Vou falar mal do Edward para ele, vou chamar o cara de louco. Pensando bem, isso seria muito baixo. Posso pensar em algo mais sofisticado. Nada de fofoca. Vingança é comigo mesmo, Ed havia ofendido o louco errado.

O namorado estava no banheiro, perfeito. Quando entrei, vi que estava lavando as mãos. Supondo que o cara não deveria estar muito sexualmente satisfeito, comecei a dar em cima dele. Com os gays é rápido. Filme ruim, não? Bela Camisa. Quer dar uns amassos ali dentro?
E aí eu fiz tudo aquilo que o Edward, com certeza, não faz. Mas eu não me senti vingado.

- Preciso voltar pro cinema, ele disse, senão meu namorado vem aqui atrás de mim.
- Ah, eu conheço seu namorado.
- Conhece?
- Sim. Olha, não é por nada não. Mas eu acho que ele não bate muito bem.
- É... é.
- Vê se toma cuidado.
- Ok...
Opa, eu conheço essa sensação. É vingança !!! Agora me sinto bem melhor. 
Fui até o lavatório para lavar as mãos e mandei um sorriso e dois polegares para cima pro meu reflexo. Nesse momento um cara entrou no banheiro e me viu ali. Voltei a agir normalmente no segundo seguinte. Louco? Que louco? Não tem nenhum louco aqui dentro.

4 comentários:

Anónimo disse...

https://www.youtube.com/watch?v=kMCGvtlL4fw

Mariah Carey já passou pelo mesmo.

Anónimo disse...

Deixa eu ver se entendi, Vc transou com o namorado do cara pq ele não quis transar com Vc? É isso?

ALESSANDRO SKYWALKER disse...

UÉ? ele transou comigo, ou algo parecido, mas depois falou mal de mim pelas costas

Anónimo disse...

Gente, esses gay inteligente, bonito, fatal e LOUCO são um perigo! rsrsrsrs. Ri tanto da história que tô escrevendo e rindo.