27.10.14

GALERIA DO TERROR


Estamos em 1985 e um filme de terror quer ser mais homoerótico que Teen Wolf com True Blood e Dante's Cove. O responsável pelo roteiro de A HORA DO PESADELO 2: A VINGANÇA DE FREDDY é homossexual, seu nome é David Chaskin, e ele ''escondeu'' algumas homo-referências no filme.
O filme também é mais sombrio que o primeiro e não abre espaço para a comédia.
A trama se passa cinco anos após o filme anterior. Nancy se mudou da rua Elm, e agora um adolescente chamado Jesse (o ator Mark Patton também é homossexual) mora na casa maldita. Freddy se apodera do corpo do rapaz para cometer assassinatos no mundo real (por alguma razão, ele só mata homens nesse filme).
Jesse pede ajuda a um amigo, depois de invadir o quarto dele no meio da noite, que precisa vigiá-lo durante o sono:

- Me deixe passar a noite aqui (...) alguma coisa está tentando entrar no meu corpo.
- E você quer dormir comigo??

O bromance dos dois não conhece limites. Tem até uma placa ''proibido garotas'' na porta do quarto do amigo e um poster do Limahl na parede. Os rapazes aparecem descamisados no vestiário, Jesse anda pelo quarto só de cuecas e perde suas calças no campo durante uma briga. A sequência de dança e os gritos de Jesse são afetadíssimos. E ainda temos a sequência no bar gay, onde Jesse encontra seu sádico professor de educação física.
Freddy Krueger não perdoa, o professor perde as roupas, enquanto Jesse toma um banho de diva, e leva golpes de toalha molhada na bunda. O diretor do filme confessou que não acreditava que tais sequências poderiam ser consideradas ''gays''. Jesse está apenas sexualmente confuso, é ''normal'' nessa idade.
Não demorou muito para o filme ganhar a fama de ''filme gay''. O ator principal, o diretor e o roteirista, discutiram a sexualidade do filme certa vez. Acho que tem um vídeo no youtubo, mas não o encontrei.














FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: a nightmare on Elm street part 2, Freddy's revenge
ANO: 1985
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 87 min
DIRETOR: Jack Sholder
ELENCO: Robert Englund, Mark Patton e Kim Myers.

1 comentário:

Homem, Homossexual e Pai disse...

eu assisti este filme, no seculo passado, e não me lembrava de todos este homoerotismo! vou tentar rever!
abs e obrigado pela dica!