30.12.09

CINEMA É UMA COISA, ESCOLA É OUTRA

Eu estava revendo uns episódios dos Simpsons e me deparei com aquele que começa numa sala de cinema. A família estava vendo o filme do ZORRO. Bart disse "quem diria Lisa? uma aula de história no cinema" e Lisa respondeu "isso não tem nada a ver com história". E não tinha mesmo, Zorro aparece lutando contra o homem da máscara de ferro, depois ele mata os três mosqueteiros. Após matar o vilão o rei da Inglaterra faz de Zorro o novo rei lhe entregando sua coroa, o filme termina e um rap é tocado nos créditos finais.
São poucos segundos mas são cenas carregadíssimas de significado. Como em muitos episódios clássicos dos Simpsons existem mensagens que podem passar desapercebidas por alguns. Pra começar o filme faz um ataque ao Zorro de Antonio Banderas. Tão turbinado quanto o Sherlock Holmes de Robert Downey Jr. para gerar um filme cheio de ação com perseguições entre carruagens cujos cavalos tem a velocidade de um formula 1.

Em 1943 soldados britânicos estavam lutando na Ásia durante a 2ª guerra mundial. Dois anos depois Hollywood transformou o evento em filme, OBJETIVO BURMA, mas ao invés de soldados ingleses haviam soldados americanos no filme. Os britânicos não gostaram da mudança e queriam saber que brincadeira de mau gosto havia sido aquela. A Warner deu uma resposta que se tornou um famoso jargão usado até hoje : " cinema não é para ensinar história, é para divertir a plateia".

Há dois anos descobri que um certo amigo meu realmente acreditava que era possível fazer o tempo voltar atrás movendo a Terra no sentido oposto, como no filme SUPERMAN. Então você pode não ser um especialista em geologia, arqueologia e outras gias, mas ás vezes o cinema comete "erros" (para os padrões deste lado da tela) que qualquer pessoa pode enxergar. Até o mais perfeito filme de época pode cometer deslizes para ter um aspecto hollywoodiano. O melhor mesmo é não levar absolutamente NADA á sério nos filmes, só assim você pode se divertir e se você gostou do tema pode pesquisar sobre ele numa biblioteca perto de você. Ele pode ser meio sem graça, parado e sem maiores emoções e explosões, mas aprenda a separar o cinema da escola.

7 comentários:

ALESSANDRO disse...

os filmes que mais massacram a realidade são os filmes catrástrofes de roland emmerich, também o 'gladiador' de ridley scott com seus deslizes históricos mas que até oscar ganhou.

Anónimo disse...

ainda procuro adamantium

Rafael Marves disse...

Depende.
Claro que não dá para levar tudo ao pé da letra, mas tem coisas interessantes. As vezes uma cena apenas já vale o filme.

Caio Cinéfulo disse...

A historia sempre foi desvirtuada, não dá pra acreditar em tudo , sempre tem uma ponta solta e precisa ser pesquisada, e não se aprende no cinema mesmo, mas da uma ponta de curiosidade.

Há, um Feliz Ano Novo, aproveite bastante a cidade quase vazia e quem sabe encontra alguem legal na virada do ano...não custa tentar..

ALESSANDRO disse...

oi anonimo
o adamantiun é o elemento quimico número 302 na tabela periódica ;)

Anónimo disse...

A Periódica só vai até 200 e pouco...kkkkkkkkkk
E se Adamantium fosse 302, ele sera radioativo, e nem Wolverine aguentaria...rs

ALESSANDRO disse...

oi anonimo
mas que papo é esse?
o adamantium fica entre a kriptonita e a pedra filosofal na tabela periódica de hollywood
hummm
acho que acabei de ter uma ideia legal para uma futura postagem...