16.2.18

em cartaz - PANTERA NEGRA



São dez anos de sucesso, a Marvel Studios está se sentindo bem a vontade, eles podem adaptar qualquer super herói de seu panteão numa boa sem que isso seja chamado de ''aposta arriscada''. Deu certo até pros Guardiões da galáxia. Eu passei quase duas décadas colecionando HQs da Marvel e não cheguei a ver histórias do Pantera (eita Brasil fim de mundo), ele fazia parte dos Vingadores, era um personagem coadjuvante. Começou a ganhar mais destaque quando começou a namorar a Tempestade dos X-men. Se esse novo filme respeita as HQs do cara, eu não sei dizer, mas funciona legal para os leigos. Mais um filme bacana da Marvel.


Chadwick e B.Jordan, garanhões molhados


A trama se passa uma semana após os eventos de ''Capitão América, guerra civil''. O príncipe T'Challa (Chadwick Boseman com aquele sotaque 💙) retorna a Wakanda para assumir o trono de seu pai. Wakanda, você já sabe, é a cidade mais avançada do mundo. Mas ela fica muito bem escondida. Todos acham que o país é pobre. Wakanda é rica em vibranium (o metal do escudo do Capitão América), e esconde sua riqueza do resto do mundo. A primeira tarefa de T'Challa como rei é encontrar um cara que roubou um pedaço de vibranium de um museu. O bandido (Andy Serkis) é o único homem branco que viu a capital de Wakanda e viveu para contar a história. Toda essa sequência lembra bastante um filme de James Bond (já quis ver um James Bond negro? Olha esse filme). O Pantera vai ter a ajuda da irmã mais nova que é inventora (mais esperta que Tony Stark), de sua general número um e da ex namorada badass (Lupita Nyong'o). Ou seja, o filme não é só dominado por atores negros (são apenas dois brancos no elenco), como também é dominado por fortes personagens femininas. E tem também o clima político anti Trump lá no final. O resto da trama faz a gente se lembrar do rei leão...


FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: black panther
ANO: 2018
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 2h 14min
DIRETOR: Ryan Coogler
ELENCO: Chadwick Boseman, Michael B. Jordan, Lupita Nyong'o, Danai Gurira, Martin Freeman, Letitia Wright e Andy Serkis
ESTREIA BR: 15 de fevereiro


NA POLTRONA

10 min - a coroação
30 min - o desafio
1 hora - a missão




1 comentário:

Mariana Soto disse...

Foi uma surpresa agradável o quão bem feito o filme é. Fiquei surpreso com o desempenho de Michael B. Jordan, quero vê-lo em Fahrenheit 451. Na minha opinião, Fahrenheit 451 será um dos mehores filmes de ficção cientifica de 2018. O ritmo do livro é é bom e consegue nos prender desde o princípio. O filme vai superar minhas expectativas. Além, acho que a sua participação neste filme realmente vai ajudar ao desenvolvimento da história.