18.8.17

em cartaz - CORPO ELÉTRICO


Temático brasuca sobre ... nada. Quem escreveu aquela sinopse que tá solta na web? O filme não tem uma história, uma moral, desfecho ou linha de chegada, por isso o final aparece de repente. O filme conta apenas o dia a dia de um homocara em São Paulo. É bem realista, não tem dramas novelescos. O personagem principal não se abre para ninguém, nem pra nós, então fica difícil entender o cara, e o final quer que a gente entenda alguma coisa (mas, nesse ponto da trama, não estamos mais ligando pra nada).
 

 Sem metas


Elias trabalha numa pequena fábrica de tecido. Quando não está no trabalho, está acompanhado dos amigos, em festas e bares, ou fazendo sexo casual. Um dia pinta no pedaço um novo funcionário, um africano chamado Fernando. Parece que Elias se sente atraído pelo cara, faz uma investida ousada (esperando na porta da casa do rapaz !?!?!?!?), mas essa parte da trama não leva a lugar algum. Elias tem 23 anos, um emprego e uma vida social, não tem planos, não sabe o que quer do futuro barra vida, e parece não ligar ou se satisfazer com o que tem. O filme também deixa de explorar essa parte da trama. Temos apenas uma câmera acompanhando um cara qualquer barra normal por alguns dias, nada de extraordinário vai acontecer com ele.












FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: idem
ANO: 2017
PAÍS: brasil
DURAÇÃO: 1h 34min
DIRETOR: Marcelo Caetano
ELENCO: Kelner Macedo, Lucas Andrade, Welker Bungué e Ronaldo Serruya.
ESTREIA BR: 17 de agosto

Sem comentários: