8.5.17

DÊ UMA CHANCE PARA ...


Será que eu deveria fazer como meio homomundo e sair por aí dizendo que esse filme é a coisa mais fofa desde Brokeback mountain e que todo homocara deveria ver essa coisa? Na verdade, você precisa fazer uma escavação, desenterrar o filme que está por baixo de um roteiro bem fraco, com diálogos bem rasos. Os diretores barra escritores criaram uma história legal, mas na prática o filme saiu meio preguiçoso.

THEO E HUGO é um filme francês de 2016. Na trama, os dois rapazes do título se encontram num sex club, o filme não esconde nada, tem nudez, ereção e sexo (o oral é real), em plena madrugada de Paris. Rola uma química entre os dois e eles fazem amor, os caras que estão trepando ao redor desaparecem e o mundo para. Eles deixam o local e começam a conversar, enquanto andam pelas ruas desertas. É aí que Theo revela que fez sexo com Hugo sem camisinha, ele achou que Hugo havia percebido isso. Acontece que Hugo é HIV+, então ele fica transtornado. Os dois correm até um pronto socorro, eles precisam saber se Theo foi infectado. O filme termina com o nascer do sol, até lá vai rolar muita conversa e eles vão se apaixonando um pelo outro ainda mais. O final não tem cara de final. O filme se concentra no romance, ele quer tocar fundo em você. Mas como os diálogos, pouco inspirados, não ajudam, o termômetro fica abaixo de zero na maior parte do tempo.
 

Sem comentários: