14.4.17

dvd - ANIMAIS NOTURNOS


Eu queria ter visto esse filme na tela grande, mas não deu certo. Acho que não iria atrás do dvd se tivesse visto o filme antes. Digo, é um ótimo filme, mas é perturbador demais, não é pra todo mundo. E tá na cara que andou dividindo opiniões. Aaron Taylor-Johnson levou o Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante. E o diretor Tom Ford recebeu duas indicações, diretor e roteiro. Mas no Oscar, vimos apenas Michael Shannon, disputando o prêmio de ator coadjuvante. O roteiro, o filme, Jake Gyll-o (fazendo dois personagens), o diretor, Amy Adams (o último Oscar foi muito malvado com ela), tudo isso foi ignorado.


Sem roupa sem Oscar, mas um Globo de ouro tá no bolso


Amy vive com o maridão Armie Hammer, o casamento não é muito feliz. Do nada ela recebe uma encomenda. Seu ex marido, Jake Gyll-o, lhe envia um manuscrito. Ela não sabe nada do cara há 19 anos e agora ele está para publicar um livro, que será dedicado a ela. Aí nós entramos no livro que ela começa a ler. Na trama, Jake está viajando com a esposa e a filha, atravessando o deserto do Texas no meio da noite. Aí eles são perseguidos por três caipiras mal encarados. A história é violenta e perturbadora, ela mexe bastante com a moça. Ao mesmo tempo, ela começa a reviver algumas lembranças. Seu casamento com Jake não terminou nada bem. E aos poucos o filme vai revelando alguns segredos. Opa, cuidado com o final, não é o desfecho que você esperava ver. 
Nos extras, o elenco e o diretor falam sobre a trama (11 minutos). No filme, tem Jake e Aaron peladões. O diretor não ia deixar de tirar uma casquinha ... mas ele cortou fora a cena do pênis do Aaron porque não queria que o filme ficasse famoso apenas por esse frontal.












3 comentários:

Jota Farr disse...

É um filme maravilhoso, mas aviso que não é pra essa geração de preguiçosos que querem filme mastigado, certinho, que dá todas as respostas!

Eduardo Santos disse...

Esse filme é um hino! Um dos melhores do ano passado. Academia foi sacana em praticamente ignora-lo por completo, pelo menos, Aaron Taylor, o roteiro adaptado e a fotografia tinham que ter sido lembrados também, mas por sorte os globos e o bafta (o oscar britânico) o honraram.

Anônimo disse...

O livro que deu origem ao filme é muito bom também. Agora, quando eu o reler, vou imaginar o personagem com esse visual gostosão aí.