23.3.17

CHP CLASSIC


UM LUGAR AO SOL (1951) pode ser um filme confuso. Do que se trata? Qual é a mensagem do filme? Pode-se dizer que ele é dividido em dois atos, separados por uma tragédia. No segundo ato o filme quer que a gente torça pelo romance entre Montgomery Clift e Elizabeth Taylor. Mas como podemos esquecer a pobre Shelley Winters, a mocinha traída que domina o primeiro ato do filme? E o homo galã Montgomery Clift é um anti herói, a gente gosta do personagem dele ou não?

George (Monty) é um pobre rapaz que deixa sua cidade para trabalhar com seu tio podre de rico. Mas acaba pegando um trabalho numa linha de produção, encaixotando maiôs. Ali ele conhece a jovem Alice (Winters) e eles começam a sair juntos. Namoros entre funcionários são proibidos, os dois podem perder o emprego se forem descobertos. George é um rapaz ambicioso, ele quer subir na vida, e, durante uma festa do tio, ele se aproxima da bela Angela (Taylor). A moça é rica mas ele não pensa em dar um golpe, ele se apaixona mesmo por ela, e ela por ele. Aí, Alice descobre que está grávida e força George a se casar com ela. Para poder viver um grande amor (e ele merece isso?), George percebe que Alice precisa tomar chá de sumiço.

Se você achou o final injusto, lembre-se de que existem desfechos piores: Kate Winslet, ninguém pode saber que sou analfabeta, prefiro morrer (O leitor). O filme foi indicado para nove Oscars, levou seis, perdeu ator (Monty), atriz coadjuvante (Winters) e Melhor filme. O diretor, premiado, não se conformou. ''Sinfonia de Paris'' foi o campeão daquele ano.




Sem comentários: