7.2.17

CHP CULT


Você já deve ter lido isso em algum lugar: filmes eróticos não são indicados ao Oscar porque o roteiro só existe para nos levar a uma cena de sexo. Quando leio isso, me lembro de SHORTBUS (2006), por que não fazem mais filmes como ''Shortbus''? O filme conseguiu um casamento perfeito entre cenas de sexo explícito e uma boa história.

Não foi fácil ver o filme no festival internacional de cinema. Caramba, sexo explícito, todo mundo no cinema deve tá se sentindo desconfortável. Mas logo pinta a comédia e os personagens são amigáveis, o filme não ofende ninguém.

Temos um homocasal em crise, uma terapeuta sexual que nunca teve um orgasmo na vida e uma dominatrix que não sabe se relacionar com as pessoas. Todos eles, e um monte de gente interessante, se encontram num sex club chamado Shortbus. Este filme está longe de ser um filme de putaria, o sexo faz parte da trama, e da nossa vida, ele é necessário. Em vários aspectos, Shortbus é um filme único. Há muitos temáticos por aí que transformam o sexo explícito no maior espetáculo, e a história do filme fica de lado. Em Shortbus tudo está em equilíbrio, de um jeito bem natural.

O diretor do filme (ele ficou pelado para deixar os atores mais a vontade e também participou da cena da orgia), dirigiu, escreveu e atuou em ''Hedwig, rock, amor e traição'' de 2001. Outro filme interessante.
  

3 comentários:

Silas M. disse...

Esse filme é muito bom! Uma grande surpresa para mim. Ótimos diálogos. Recomendo...

Raul disse...

Yes, I liked it!
Um bom filme mesmo!

Anónimo disse...

filems assim não são raros não..acho que o ultimo foi Ninfomaníaca 1 e 2 do Lars...é sexo explicito mas de mentirinha, kk. Também tem o 9 canções, que gerou certa polemica em festivais por apresentar cenas de sexo reais entre os atores.