30.1.17

em cartaz - RESIDENT EVIL 6, O CAPÍTULO FINAL


Wow, quinze anos, seis filmes, todos com a Milla Jojô, e quatro deles dirigidos pelo marido da atriz, Paul WS Anderson. Se você não curtiu o filme de 2002 por ser tão diferente do game, então não curtiu nenhum outro filme da franquia, se trata de outro universo. E quem poderia imaginar que aquilo viraria uma franquia? Aos poucos, os filmes tentaram forçar uma aproximação com os jogos, veio o Nêmesis, a Jill, a Claire e o Chris, a Ada, o Leon e o Carlos. Mas a tal de Alice sempre esteve presente. E ela ainda ganhou os poderes de uma deusa. Acho que, depois de tudo isso, a saga merecia um final melhor.
 

- Esse corredor de novo? Nãããoooo


Alice ainda está em Washington. Wesker mentiu, ela não ganhou seus poderes de volta (agradeço por isso) e todos os seus amigos estão desaparecidos (pra variar, o filme nem se dá ao trabalho de revelar o paradeiro deles. Claire está de volta, mas ela não menciona o irmão. Alice também não faz perguntas). A Rainha vermelha (Ever Anderson, a filha da atriz) entra em contato com Alice e lhe conta que os últimos humanos da Terra vão desaparecer em 48 horas. Alice precisa voltar para Racoon City, entrar na Colméia (o lab da Umbrella), e pegar um anti vírus que vai salvar o mundo. É um fiapo de história que puxa uma cena de ação atrás da outra, algumas são legais, outras não. Lutas acontecem o tempo todo, quando um personagem começa a prever os movimentos do outro a coisa fica irritante. O filme também traz aqueles flashbacks no estilo ''Sherlock Holmes'' (2009 e 2011), dizendo ''olha uma coisa que você deixou de ver'', outro clichê irritante e desnecessário. O quarto filme ainda é o meu favorito, ele tem aquele clima dos games clássicos.

Será que agora vamos ganhar um reboot com Chris e Jill na mansão Spencer? Eu adoraria.













FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: resident evil, the final chapter
ANO: 2016
PAÍSES: frança, alemanha, canadá e australia
DURAÇÃO: 1h 46 min
DIRETOR: Paul WS Anderson
ELENCO: Milla Jovovich, Iain Glen, Ali Carter e Shawn Roberts
ESTREIA BR: dia 26 de janeiro de 2017


NA POLTRONA

10 min - zumbis
30 min - mais zumbis
1 hora - de volta ao primeiro filme
 

1 comentário:

Kayo Ewing disse...

Pensei que essa saga num ia acabar nunca rsrs confesso que vou sentir saudades do "Meu nome é Hélice"
Tambem achei um final bem meia boca, queria ver todo mundo junto, Jill, Claire, Chris, Leon, Ada, Wesker, ia ser um lacre! mas é aquele ditado:
Vamo fazer o que?!