13.9.16

DIGA ''SIM'' ÀS DROGAS


Se você é fã de Ed Wood, dê uma olhada nesta pérola de 1958. Não, ele não é o diretor, mas escreveu o filme. Uma coisa engraçada, e um tanto chatinha, sobre o filme é que ele foi filmado na Califórnia, e boa parte da trama se passa na África. Então, quando os personagens pisam no continente africano, o filme fica mostrando imagens que, se não me engano, foram retiradas de documentários sobre a África. E a gente tem que acreditar que os atores estão realmente encarando os animais e as tribos que aparecem em sequências que nem sequer combinam com as tomadas feitas em estúdio. É uma montagem bem grotesca.

THE BRIDE AND THE BEAST começa com um casal em lua de mel. O cara é um caçador de fama mundial, ele tem um gorila preso numa jaula dentro de casa. O animal se apaixona pela noiva, escapa da jaula e entra no quarto dela. Para salvar sua esposa, o caçador atira no bicho. Depois disso ela começa a ter pesadelos horríveis. Aí o marido arruma um hipnotizador para ajudar a mulher. E assim ela descobre que foi uma gorila numa vida passada. O casal resolve viajar até a África e a mulher é atacada por tigres, ela foge correndo e cai num precipício, bate a cabeça e desmaia. Ao acordar, ela não se lembra de nada, não apenas esqueceu quem é como também acredita ser uma gorila e aí ela é sequestrada por um de verdade (ou, cara fantasiado) que a leva até uma caverna, habitada por outros gorilas. O marido usa suas técnicas de caçador para encontrar a esposa com a ajuda de um guia local, pra variar, se trata de um homem branco pintado de negro.
O filme deixa a trama de lado, por longos minutos, para mostrar as tais cenas de documentários. Vemos um tigre entrando num rio e brigando com um jacaré. Só para deixar o filme com cara de ''longa'' metragem mesmo.

Sem comentários: