12.9.16

CHP CULT


Eu passo pela loja, dou uma olhada na moto, e depois vejo o aviso: não está a venda. Que vontade de socar aquele vidro. A moto continua lá, enlouquecendo os fãs. Quem é fã de AKIRA, é fã da moto também. O filme de 1988 foi a primeira animação japonesa a ser exibida nos cinemas brasileiros (menos na minha cidade...) mas com três anos de atraso. E o mangá, no qual o filme foi baseado, chegou um ano antes (mas não nas bancas da minha cidade). Quando o filme saiu, o mangá ainda estava sendo publicado no Japão, por isso os finais são diferentes.

Mas que final era aquele? Eu tive que ver o filme duas vezes. A criançada não falava de outra coisa na escola, pegar aquele vhs na locadora e levar para casa era como carregar uma sacola cheia de ouro. A animação era incrível, os cenários eram incríveis (não havia nada digital, era tudo feito a mão) e era violento, bem violento. Era um futuro (2030) com jeitão de Blade Runner, mas sem animais sintéticos, havia um jukebox que tocava CDs!!!! Ninguém por aqui tinha grana pra comprar um CD player, todo mundo andava por aí de walkman. E aí descobrimos que, em 2030, os CDs vão ser uma coisa bem banal. Uau.

A trama começa em 1992 (o mangá começou a ser publicado em 1982). A terceira guerra mundial teve início, uma super bomba devastou a cidade de Tóquio. Trinta e oito anos depois, estamos em Neo-Tokyo, construída sobre os escombros da velha cidade. Kaneda e Tetsuo são dois grandes amigos, membros de uma gangue de motociclistas. Tetsuo sofre um acidente e acorda com super poderes. Ele descobre que um menino chamado Akira foi o responsável pela destruição da cidade em 1992. Existem outras crianças com poderes nas mãos dos militares. Kaneda começa uma guerra, na tentativa de salvar seu amigo, que está perdendo o controle e se tornando uma verdadeira ameça.

Uma versão norte americana, em live action, já foi prometida várias e várias vezes. Com Keanu Reeves no papel de Kaneda. Depois com o Leonardo DiCaprio, James Franco e até Zac Efron. Christopher Nolan prometeu fazer uma trilogia. Até agora, o filme tá só na promessa. E a gente torce para que esse remake nunca seja feito.

1 comentário:

Anónimo disse...

O mangá deve ser republicado ainda esse ano pela JBC e, pelo que eu entendi, a história é bem maior que a do filme.