29.8.16

DÊ UMA CHANCE PARA...


Eu já li muitas críticas negativas a respeito deste seriado de 2015. Nunca tive vontade de ver. Entrei numa loja e dei uma olhada nas bonecas, tava interessado na Arlequina, e vi que eram feias demais. E o seriado? Qual o problema com o seriado? Infantil demais? É para meninas muito muito pequenas? Ou chega a ser politicamente incorreto? Todas as heroínas da DC Comics são adolescentes e suas aventuras acontecem dentro de uma escola para super heróis. Então elas fazem compras e paqueram os rapazes, certo? Não sei como é o clima do seriado de tv, que não agradou algumas pessoas, mas sei que gostei do longa metragem.

DC SUPER HERO GIRLS: HERO OF THE YEAR (2016) é meio bobinho e estranho no começo, mas, aos poucos, vai ficando interessante, porque traz super vilões que querem dominar o mundo. Ok, então temos uma escola para super heróis. Temos quatro meninos, o Lanterna Verde, o Flash, o Cyborg e o Mutano, o restante do elenco é formado por garotas (o público alvo). Amanda Waller (magra!!!) é a diretora da escola e o gorila Grodd é o vice diretor (?!?!). O comissário Gordon é um dos professores. Dá pra esse universo ser mais esquisito? O filme começa com a vilã Grande Barda se matriculando nesta escola. As outras meninas acham isso estranho, mas ninguém parece ligar para outras duas alunas veteranas, Arlequina e Hera Venenosa (que são graaaandes amigas...). Não sou decenauta de carteirinha mas sei que outras alunas, desta ''escola de heróis'', também são vilãs.

Os preparativos para a premiação ''Herói do Ano'' são interrompidos quando pinta um misterioso vilão que começa a roubar artefatos mágicos das heroínas, com a intenção de fabricar uma super arma. Não se trata afinal de um mundinho cor de rosa com unicórnios (ok, tem 1 no filme), acho que certos marmanjos vão curtir. Nenhum super poder foi alterado e nem as origens, os pais da Supergirl estão mortos, o filme não esconde isso. No fim das contas, foi engraçadinho. Meio Disney.

1 comentário:

Jota Farr disse...

O estranhamento vem pela proposta ser para o público de meninas até 9 anos, logo outros públicos vão estranhar mesmo. Mas achei uma puta sacada, como não pensaram nisso antes? A ideia vai formar leitoras de quadrinhos, séries de tv, outros desenhos e filmes para o cinema de toda uma nova geração, muito válido isso! Muito digno da DC, rsrs.