23.5.16

CHP CULT


É difícil encontrar uma manchinha no currículo dos irmãos Coen. Eles começaram em 1984, com o thriller ''Gosto de sangue'', e no filme seguinte, ARIZONA NUNCA MAIS, de 1987, eles criaram uma fórmula de sucesso que estão seguindo até hoje. Comédias de humor negro com mensagens escondidas.

A história segue por um caminho tão estranho que é impossível adivinhar o final. Nicolas Cage é H.I., um ladrão que adora assaltar mercadinhos. Ele é uma boa pessoa, nunca usa munição. Por conta disso, sempre que ele vai pra cadeia, ele ganha apenas alguns meses de detenção. Nessas idas e vindas da prisão ele conhece a policial Ed (Holly Hunter, muito engraçada). Os dois se apaixonam e se casam. Ele arruma um emprego e ela consegue uma promoção no DP.
Aí eles descobrem que Ed não pode ter filhos. E por causa do ''passado colorido'' de HI, eles não conseguem adotar uma criança. Ed fica deprimida e deixa a polícia. 
Então surge uma esperança. Um famoso ricaço teve quíntuplos. HI e Ed resolvem invadir a mansão do cara e roubar um dos bebês. No mesmo dia, dois amigos de HI fogem da prisão (no estilo ''um sonho de liberdade'') e se hospedam em sua casa. Uma recompensa de 25 mil dólares pelo bebê sequestrado é oferecida e ela atrai um caçador assustador, o ''motoqueiro solitário do apocalipse'', que parece ter saído de um sonho de HI.
A verdadeira identidade do motoqueiro gera discussões até hoje. Ele e HI tem a mesma tatuagem. Ele pode ser o irmão de HI, ou seu doppelganger. O clímax está cheio de ação e o final é tanto bonitinho quanto triste.


Sem comentários: