29.1.16

em cartaz - ANOMALISA


Não é o filme mais inspirado de Charlie Kaufman, o doido que escreveu ''quero ser John Malkovich e ''adaptação'' e ''brilho eterno de uma mente sem lembranças''. Mas quem disse que o cara é obrigado a escrever sempre filmes estranhos? ANOMALISA é estranho, um pouco, a maior parte da estranheza está no visual do filme e não no roteiro. É stop motion, tem bonecos, tem nu frontal e sexo, pode causar algum desconforto, não é para todos os públicos. Você quer explicações, você quer ver um desfecho e provavelmente um final feliz, você está mal acostumado. Kaufman só quer contar uma história sobre um cara que tem síndrome de Fregoli, ou algo parecido, sei lá, o filme não tem mensagem ou ''moral da história''.


- Nu frontal? Vai pra enquete de ''melhor corpão'' de 2016 do CHP?


Michael Stone (voz de David Thewlis) está numa viagem de negócios. Ele deixa o aeroporto, vai direto pro hotel e começa a ensaiar a palestra que ele vai fazer em breve. Não demora muito, você nota algo estranho. Todos os outros personagens ao redor de Michael têm o mesmo rosto e a mesma voz (de Tom Noonan), até as mulheres. Numa cena desconcertante, Michael sai do banho e quase remove seu próprio rosto (de boneco) na frente do espelho. É aí que ele se dá conta de que todo mundo têm a mesma voz e a mesma cara. Mas ele encontra uma ''anomalia'' no hotel, uma moça chamada Lisa. Ela tem um rosto próprio e uma voz diferente (de Jennifer Jason Leigh) e ele, casado e com um filho, se apaixona por ela. A cena de sexo entre os dois bonecos é longa e bem realista, coisa pra lá de esquisita. A sequência do pesadelo de Michael também é a maior piração.













FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: idem
ANO: 2015
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 90 min
DIRETORES: Duke Johnson e Charlie Kaufman
ELENCO DE VOZES: David Thewlis, Jennifer Jason Leigh e Tom Noonan
PRÊMIOS: indicado ao Oscar de melhor animação

Sem comentários: