26.12.15

DÊ UMA CHANCE PARA ...


Se você é como eu e sente falta do Quentin Tarantino das antigas, dê uma olhada em dois filmes que devem fazer parte da coleção do diretor (ou ele apenas deu uma olhadinha neles, sei lá). 

A NOIVA ESTAVA DE PRETO é um filme francês de 1968, dirigido por François Truffaut (de ''Jules e Jim''). Julie acaba de se casar, ela está saindo da igreja, ao lado do marido, e tem uma multidão ao redor. Aí, atiradores disparam contra o povão na porta da igreja e o marido de Julie é morto (por acidente, ele não era o alvo). A moça fica deprimida e tenta o suicídio. Depois diz pra mãe que vai deixar a cidade. Mas na verdade, ela vai atrás dos cinco caras envolvidos na morte de seu marido de cinco minutos. Ela vai matar cada um deles.
O filme não agradou muita gente, tem uma boa dose de comédia nele (nada a ver), mas conseguiu uma indicação ao Globo de Ouro de Melhor filme estrangeiro.
O filme foi lançado em dvd no Brasil.



THRILLER - UM FILME CRUEL (eu gosto do título americano: ELES A CHAMAM DE CAOLHA) é um filme sueco de 1973. Ele é bem pesado. Uma garota é abusada sexualmente e o trauma a deixa muda. Alguns anos depois, já na adolescência e ainda muda, ela aceita uma carona de um estranho. Ele a transforma numa viciada em heroína e se torna seu cafetão. O cara não deixa ninguém saber que ela foi sequestrada, ele envia cartas para os pais da menina, se passando por ela, e o conteúdo das cartas deixa os pais abalados e ambos cometem suicídio.
Ela é esfaqueada por um dos clientes e perde um olho (cena chocante). Depois junta uma grana, rouba um carro, aprende artes marciais, aprende a atirar e vai atrás de vingança.
O filme foi proibido em vários países por fazer o tipo ''pornografia hardcore''. Foi retalhado quatro vezes, até que os 107 minutos originais se tornassem 82 minutos satisfatórios (só para poder ser lançado em alguns países). Em 2004, surgiu um dvd, lá fora, com os 107 minutos originais. Edição limitada.

Sem comentários: