25.6.15

GALERIA DO TERROR


Você não vai ter pesadelos e nem vai se assustar. Estamos em 1975 e você tem que levar em conta a censura da época e o estilo dos filmes de terror. O CARNIÇAL não é muito explícito, ele tem um pouco de ''Psicose'' com ''O massacre da serra elétrica'' na trama, mas é um terror britânico, é bem light. O filme prefere gastar longos minutos contando uma história e acaba deixando a maior parte do terror para os minutos finais. Se fosse um filme norte americano, seria um terror dos anos 1960, mas ''O CARNIÇAL'' é um filme de Freddie Francis e esse é o estilo consagrado do cara.
Durante uma festa, dois rapazes resolvem fazer um racha com seus calhambeques. A jovem Daphne dirige um dos carros e faz de tudo para não perder a corrida. Mas ela é obrigada a parar por causa da neblina. Deixando o carro de lado, ela encontra a mansão do Peter Cushing. Viúvo, ele vive com dois criados esquisitos, uma mulher indiana e o John Hurt.
O cara não deixa Daphne ir embora, ele diz que a neblina está forte demais. Na verdade, ele guarda um terrível segredo no sótão. Uma coisa que se alimenta de carne humana, e a moça será o lanchinho da meia noite.
A trama não tem muito conteúdo, a gente tem a sensação de que o filme está se arrastando demais, ele não quer ser chamado de ''curta metragem''. Lá no final, tudo acontece mais rápido. A identidade da criatura é revelada, tem o trágico desfecho e tal, mas você tem que tomar cuidado com spoilers, caso não conheça o filme. Vi muitas sinopses na web agora a pouco e elas contavam o filme todo (difícil evitar, eu disse que ele se arrastava bastante). Hoje, ''O CARNIÇAL'' pode ser chamado de terror light, mas recebeu uma classificação +18 quando foi lançado.
Vale a pena pelo teor histórico.














FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: the ghoul
ANO: 1975
PAÍS: reino unido
DURAÇÃO: 88 min
DIRETOR: Freddie Francis
ELENCO: Peter Cushing, John Hurt e Alexandra Bastedo.

Sem comentários: