14.6.15

DOMINGO, NO NETFLIX

Com uma ajuda do Anselmo, passei o dia no tal do netflix. Eu não poderia ter feito esse tipo de coisa antes porque, no meu pc anterior, o buffering levaria horas. Nesse novo pc tá tudo ok. Mas tem uma coisa meio chata. Todos os seriados do NF precisam ter 50 minutos de duração? Tenho 10 filmes novos pra assistir, duas caixas de seriados e meu york precisa tomar banho. Às vezes dá vontade de desligar a tv e dar uma pedalada por aí. Já viu aquele treco que calcula quanto tempo você já gastou vendo seriados de tv? Tenho medo de descobrir. Hoje foi só uma olhadinha inofensiva, mas tomou todo o meu domingo.


DEMOLIDOR
Quem diria que o Demolidor daria uma ótima série de tv? Ok, a série segue o padrão Warner barra DC descaradamente, mas é uma série policial acima de tudo. Depois de uma abertura lindona, o seriado não perde muito tempo mostrando a origem do herói. Ela aparece no decorrer dos episódios em flashbacks. E não tem nada de novo ali, segue fielmente as HQs e faz algumas referências que só os fãs vão notar. O seriado também vai, aos poucos, revelando os poderes do herói (é meio demorado porque Matt não conversa com ninguém, sequer narra os episódios). Eu gostei de ver a Jessica de ''true blood'' novamente. Logo no primeiro episódio sua personagem Karen Page se mete em confusão (antes de ser morta pelo Kevin Smith nas HQs, ela comeu o pão que o outro diabo amassou). O Stick também apareceu, e dizem que a Elektra e o Mercenário vão aparecer na segunda temporada. Acho que a série faz parte do universo Marvel da tela grande, vi alguns bandidos conversando sobre certos ''heróis''...
NOTA (10/10)


BEING HUMAN
Como não tem dvd por aí, o jeito foi procurar no NF. A série começa com um rápido resumo e bang, a gente já vai direto pro dia a dia de três pessoas que dividem uma casinha. O seriado também não perde tempo explicando as regras. A garota fantasma pode ser vista por algumas pessoas e por outras não. O vampiro Aidan Turner não se preocupa com o sol. E o lobisomem Russell Tovey tira a roupa o tempo todo (hey, é um seriado britânico). Os três estão tentando levar uma vida normal como seres humanos normais. Mas a moça tem assuntos pendentes, nem se lembra da própria morte. O vampiro não quer atacar humanos e começa a passar fome. E ele ainda tem que lidar com outros vampiros, que estão se juntando para fazer algo terrível. O seriado tem alguns momentos engraçados, segue o estilo Buffy, e com o Russell aparecendo nu em pelo a cada transformação, como não gostar?
NOTA (07/10)


SENSE8
Sabe quando ''Lost'' começou a ficar chato? ''Sense8'' é muito ''Lost'', tem até o Saydi no meio. Começa cheio de perguntas e tem um elenco bem grande. Oito pessoas que estão compartilhando sentimentos, de sustos a orgasmos, em diferentes partes do mundo. Cada uma delas tem um elenco de apoio, amigos e familiares, então, é muita gente. A parte chata (ou cansativa) de ''Lost'' não demora muito para aparecer.
O primeiro episódio é o mais longo, ele serve para apresentar todo mundo, e ainda assim alguns personagens ganharam pouco tempo na tela. Não dá pra contar oito histórias em cada episódio. Ao longo da temporada ninguém é esquecido, mas separadamente alguém sempre acaba ganhando pontinhas em determinados episódios. Felizmente, o pessoal se junta, mentalmente, de vez em quando, e aí todo mundo ganha um tempo na tela.
O seriado abusa do sexo e da nudez, é algo necessário ou apenas um chamariz? Tem um ator gay e um policial que são wow. Essa ousadia sexual é a única coisa que separa esse seriado de ''Lost'' e de seus clones.
NOTA (07/10)


ORANGE IS THE NEW BLACK
É estranho, por alguma razão, eu esperava por uma comédia Comédia. O seriado tem comédia, mas ela é um tanto sutil. A personagem principal não é nenhuma Paris Hilton, ela é esperta, não se sente tão deslocada assim quando vai parar na prisão. As outras prisioneiras ficam com as melhores piadas. Mas a série tem uma carga dramática, é preciso ver vários episódios para se acostumar com esse equilíbrio entre o drama e a comédia. Não faltam lésbicas e mulheres nuas, achei ter visto a KD Lang no meio, mas me enganei. Eu gostei de rever a Laura Prepon, não a via desde ''That '70s show''.
NOTA (08/10)

4 comentários:

Neto disse...

E House of Cards? Melhor serie drama Alessandro.

ALESSANDRO SKYWALKER disse...

caramba, não tenho vida social, mas tenho fome e hora pra ir pra cama.

Zazzle Korpan disse...

Olá;

Tenho uma maneira nada convencional de pensar é verdade e não me enquadro no que é politicamente correto. Não me prostituo ( apesar de sofrer muitas criticas e muitas pessoas acharem que o que eu faço é prostituição ), não mato e não vendo drogas. Então o que há de errado em pensar grande e escolher sempre o melhor? Ter uma mente milionária não é pecado e gostar das coisas boas pode ser considerado apenas bom gosto. Quero ser rica, quero ser grande, quero ter sucesso, para isso preciso aprender e lutar e este blog de uma forma ou de outra está me auxiliando. Meu blog é um pouco diferente dos normais, mas vou provar a todos que chegarei lá. Se quiser visitar e acompanhar http://comoencontrarumbompartido.blogspot.com.br/

Fernando F disse...

Depois de uma chance para unbreakable Kimmy schmidt. Treze episódios de 25 minutos