11.4.15

CHP CLASSIC


Só para quem curte teatro filmado agora. Baseado numa peça de Shakespeare, JÚLIO CÉSAR é um filme bem teatral, o texto original está presente, ele não rima, apenas está mais realista. Pense no ''Romeu + Julieta'' de 1996 (ei, só tem criança aqui). Marlon Brando é o cara que brilha nesse filme, conseguiu até uma indicação ao Oscar e calou a boca de muita gente que não acreditava nele. Brando vai usar o método, eles diziam.

O quê? Eu já devia ter falado sobre isso aqui no blog há um tempão. Criado no Actor's Studio nos anos 1930, o Método é uma forma de atuação onde o ator aprende a gerar dentro de si os pensamentos e as emoções que o personagem precisa ter, pra deixar a atuação mais realista.

É um treco polêmico, você não pode usar isso em Shakespeare e trocar um ''está'' por um ''tá'' ou um ''para'' por um ''pra'', entendeu? Brando não fez feio, mas eu senti uma grande mudança no filme quando ele foi lançado em dvd.
Ok, agora dá pra ver os pelinhos no peito do cara, mas também dá pra notar que ele está suando bastante, e muito (no dvd de ''O grande Gatsby'', 1974, você vê todo o elenco pingando, durante todo o filme, uma visão sufocante).
''Júlio César'' conta a história do último dia de vida do famoso ditador. Um adivinho cego lhe disse para tomar cuidado com os idos de março, mas ele ignorou o aviso. Após sua morte, Marco Antônio (Brando) precisa resolver o que fazer. Ele pode ficar ao lado de Brutus, e dos senadores que mataram César, ou tomar Roma de Otaviano, sobrinho neto do falecido.
É uma das melhores adaptações de Shakespeare que você vai encontrar por aí. Divirta-se com a cara de mau do Marlon Brando, quando ele olha para cima sem mover a cabeça. Acontece várias vezes.












FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: Julius Caesar
ANO: 1953
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 120 min
DIRETOR: Joseph L. Mankiewicz
ELENCO: Loius Calhern, Marlon Brando e James Mason.
PRÊMIOS: Oscar de melhor direção de arte em preto e branco.

Sem comentários: