6.4.15

CHP CLASSIC


Em 1959, ''A bela adormecida'' não foi nenhum grande sucesso de bilheteria. Walt Disney esperava mais do filme. Por conta disso, o estúdio começou a investir em produções para a tv e cortou verbas do departamento de animação. O filme seguinte teria que ser um sucesso e também teria que sair baratinho. Então eles fizeram uso de uma tecnologia nova, a fotocopiadora da XeroX. Isso diminuiu o número de desenhistas e pintores envolvidos com o projeto (costumavam ser 500, e o número baixou para menos de 100). O filme também reciclou imagens de ''A Dama e o Vagabundo'' e, durante as duas décadas seguintes, esse recurso foi usado várias vezes para poupar dinheiro (repare nos lobos em ''Mogli''). 
Deixando os contos de lado, o estúdio resolveu investir em livros infantis. Walt já havia comprado os direitos de ''101 Dálmatas'' na década anterior. O livro foi escrito por Dodie Smith, uma mulher que tinha um casal de dálmatas em casa, eles tiveram 15 filhotes. Um deles nasceu ''morto'' e foi ressuscitado pelo marido dela, que lhe aplicou uma massagem. A maior parte dos filhotes acabou sendo vendida. Smith teve a ideia de escrever um livro quando recebeu a visita de uma amiga que viu os cães e disse: eles dariam um belo casaco.
''101 Dálmatas'' (ou ''A guerra dos Dálmatas'', se preferir), foi lançado em 1961 e se tornou uma das maiores bilheterias do ano (e de todos os tempos). Repetiu essa façanha ao ser relançado nos cinemas em 1991. O filme vai ganhar uma edição diamante nas próximas semanas (em dvd e em blu), ainda com a dublagem clássica no pacote. Não vão fazer a mesma cachorrada que fizeram com o blu de ''A Dama e o Vagabundo'', a gente agradece.












FICHA TÉCNICA

TÍTULO ORIGINAL: one hundred and one dalmatians
ANO: 1961
PAÍS: eua
DURAÇÃO: 79 min
DIRETORES: Clyde Geronimi, Hamilton Luske e Wolfgang Reitherman
ELENCO DE VOZES: Rod Taylor, Betty Lou Gerson e J. Pat O'Malley.

Sem comentários: