21.2.15

livro - A PIADA MORTAL


Publicada pela primeira vez em 1988, essa HQ pega carona na reformulação do Homem morcego. As HQs do Batman se tornaram mais sombrias e violentas. Alan Moore aproveitou a oportunidade para contar a misteriosa origem do Coringa, e com muita violência no pacote, é claro. Essa edição de luxo lançada em 2009 recebeu novas cores, digitais, tem uma capa dura e um prefácio do Tim Sale, que trabalhou no seriado Heroes. Além de A PIADA MORTAL, o livro também traz uma história da série ''Batman: black and white'' de 1996 (que virou animação em 2008) e a primeira aparição do Coringa em 1940.
Na trama, o Coringa foge do asilo Arkham e compra um velho parque de diversões. Com a ajuda de seus capangas (artistas de circo com deformidades), o vilão atira em Bárbara Gordon (a Batgirl) e sequestra seu pai, o comissário. A moça vai parar numa cadeira de rodas e o Coringa tenta enlouquecer o comissário mostrando as fotos que ele tirou de sua filha, nua, numa poça de sangue.



Durante a história, flashbacks contam a origem do vilão (que, anos depois, ganhou uma nova versão envolvendo o Batman). A PIADA MORTAL é a melhor história do Coringa que eu já li, termina com uma piada bem engraçada. Eu não poderia fazer uma edição especial do Batman, aqui no blog, sem mencionar essa HQ. Mas quem falou em ''edição especial''?? Eu juntei tanto material a respeito do homem morcego, que resolvi dividir a postagem em duas partes, mas isso não fez sentido. Então, desisti de tudo. E por falar no Coringa colocando a Batgirl numa cadeira de rodas ...



POR ONDE ANDA ESSE SERIADO DE TV ??

Com o sucesso de ''Smallville'', a Warner resolveu investir num super grupo da DC comics formado apenas por mulheres. Era uma ótima ideia, mas não agradou. BIRDS OF PREY (ou simplesmente ''Mulher Gato'', como foi chamado na tv aberta) durou apenas 14 episódios.
A série se passa num futuro onde o Batman deixou a cidade de Gotham. Bárbara Gordon não é mais a Batgirl, desde que foi aleijada pelo Coringa em ''a piada mortal'', ela vive numa cadeira de rodas, na frente de um computador, ajudando suas amigas à distância. Dinah Lance é a heroína Canário Negro e Helena Kyle é a filha do Batman e da Mulher Gato. Haviam tramas e personagens que pediam por efeitos especiais que a televisão de 2002 não poderia bancar, isso limitava as coisas. Agora que a Canário Negro está agradando em ''Arrow'', ''Birds of prey'' poderia ganhar uma nova chance. É fácil, uma das moças poderia ganhar um namorado que nunca usa camisa, funciona que é uma beleza.











1 comentário:

Anónimo disse...

Birds of Prey agradava em muita coisa. Mas as atuações e os 'defeitos especiais' deixava a serie cheesy. Assisti, acho que colocaria na minha estante por conta do policial e o drama teen.