17.1.15

O MELHOR E O PIOR DE ''LOOKING''


1- QUEM? ONDE? QUANDO?
A série não chegou fazendo barulho. Não tinha nenhuma pretensão, foi um começo bem humilde, uma temporada com apenas 8 episódios e com apenas 30 minutos de duração cada um. Nenhum comercial de tv saiu gritando ''é o novo queer as folk'', o seriado não quer correr riscos, não fez nenhuma promessa. Só o que recebemos antes da estreia foi isso: '' eis a nova série gay da HBO''.

2- GENTE COMO A GENTE
O seriado optou pela realidade. Você não encontra aqueles garotões esculturais de vinte e poucos anos, corpos musculosos tipo men's health, nada de deuses ou deusas. Os baixinhos, os velhos, os magros, caras com pouca grana, os mal vestidos, a série tem um visual bem caseiro. Com um elenco quase desconhecido.

3- RUSSELL TOVEY
Esse é o cara que vai contra as regras acima. Mas seu personagem deu um novo gás ao seriado. É como se ele tivesse sido sugado de algum clone de ''Melrose Place''. Se você acompanha muitos seriados de tv, já deve ter visto algum Kevin (o personagem de Russell) em algum lugar. Não me surpreenderia se ele se tornasse um ''vilão'' no seriado algum dia. A série optou pela realidade, mas tem um pezinho no mundo da telenovela por conta do cara.

4- O FIM DO AMOR EM SAN FRANCISCO
''Looking'' não é uma série romântica. O romance está quase morto no meio gay e todo mundo sabe disso. Traições, sexo casual, relações abertas, encontros sexuais marcados pela internet, aplicativos de caça, um dos personagens frequenta uma sauna, a série não foge da realidade atual. Ela não é nada bonita mas está por aí. Quando Agustín vai morar com o namorado, Patrick e Dom ajudam com a mudança, e depois começam a apostar quanto tempo esse casamento vai durar. O seriado pode chocar os héteros que têm uma visão romântica dos gays, e os gays vão reconhecer alguns ''amigos'' na tela.

5- SEXO AO NATURAL
Cenas de sexo não são obrigatórias, não são tratadas como um espetáculo de circo, não é nenhum grande acontecimento. Nada contra ''queer as folk'', apenas dá pra ver como as coisas evoluíram. O sexo faz parte da trama e não imita o Kama Sutra, é um sexo mais natural. E os personagens não estão passando lições de moral pra ninguém, rola sexo sem proteção porque na vida real isso também acontece, e muito.


NO FUNDO DO POÇO:
A série começou com uma apresentação bem ruim. Personagens sem passado, sem parentes, sem um rumo definido. Nada de surpresas ou revelações chocantes, e são apenas 3 personagens no elenco principal. Em um determinado episódio, dois deles nem sequer apareceram. Ou seja, quase não há história para contar. Se você tiver um pouco de paciência, vai se surpreender com os dois últimos episódios da primeira temporada. Surgem novos personagens, a série arruma espaço para eles, há brigas e fortes emoções. Espero que continue assim.

6 comentários:

Pietro disse...

Peguei ontem o seriado para assistir e cheguei no episódio atual, achei estranho que o Dom e Agustim 3 episódios sem aparecer.
Na verdade, não gosto do personagem Agustim, é como se ele fosse um conhecido que em plena sã consciência vc o manteria longe.
O que me fez gostar do seriado e não foi citado, foi a personagem Doris. Adoro o seu humor. Ela tem poucas cenas, mas o que faz vale pelo resto....
Uma coisa é certa, o seriado tem muuuuuuuuito a ver com a nossa realidade. Não há nada utópico e muitas coisas que aconteceram no seriado já aconteceu com conhecidos meus. Incrível que você assiste e vai comentando; "isso aconteceu comigo, aconteceu com o fulano tal".

Sam Peregrine disse...

Não conhecia essa série. Correndo pra ver.

Anônimo disse...

Terminei a temporada com um "Só isso?!? Quero mais". Pode ser clichê e tals, mas, cara, eu simplesmente amo o personagem do Kevin (sem dizer que o ator é lindo). Enfim, quero que ele continue aparecendo na série. E, realmente, os dois últimos episódios foram muito bons!

Angelo Prata disse...

Vou tentar finalizar, só assisti os dois primeiros episódios.

Anônimo disse...

ahhh Russell ♥♥♥

Nem precisa abrir a boca, só de estar lá já vale toda a pena.

Amores aparte, a série recomeçou com uma nova energia nessa segunda temporada, achei mais dinâmica. Dessa vez até passou rápido, a primeira temporada parecia demorar 'legolas' pra terminar o episódio.

Firewest disse...

''Looking'' não é uma série romântica. O romance está quase morto no meio gay e todo mundo sabe disso. Traições, sexo casual, relações abertas, encontros sexuais marcados pela internet, aplicativos de caça, um dos personagens frequenta uma sauna, a série não foge da realidade atual.

Está aí o motivo do flop, quem quer ver um bando de viado feio que só anda em busca de sexo? E pergunto mais: desde quando a falta de romance é único e exclusivo dos relacionamentos gays? Uma série dessas não faria sucesso se fosse com temática hetero, quem dirá com gays. lol

Não fizeram uma algo que pudesse agregar ao público hetero (que já vê com maus olhos o público gay) e tbm não agrega ao público gay, pois as cenas de sexo são toscas.

Ou seja, taí uma série que não agrega em nada, pelo contrário, subtrai! É uma pena, mas o que esperar da HBO né?